A prática de exercícios físicos em altas temperaturas

Com a chegada do verão, até mesmo nós, moradores da Serra, temos que nos deparar com altas temperaturas e aquele friozinho de manhã cedo passa a ser mais raro. E quem pensa que por aqui não faz muito calor está enganado. Muitas pessoas, inclusive, preferem o clima mais quente para praticar esportes e exercícios físicos ao ar livre, tendo em vista uma preparação para o verão e a qualidade de vida que esses hábitos são capazes de trazer.
Mas será que as altas temperaturas do verão podem, de alguma forma, prejudicar ou ser um fator de atenção aos praticantes de exercício físico nessas condições?
Quando realizamos exercícios em altas temperaturas, os desafios enfrentados pelo nosso corpo são potencializados. O aumento da temperatura aliado a outras características comuns ao verão prejudicam a capacidade de exercício físico e a performance. Essa diminuição no desempenho do praticante é mediada por ajustes no coração, músculos e sistema nervoso, fruto da hipertermia. A dificuldade em dar conta das perdas excessivas de líquidos corporais, tendo em vista o suor excessivo, pode exacerbar as demandas energéticas e fisiológicas do nosso corpo, fazendo com que a fadiga aconteça antes do que em outras condições climáticas.
Quando o corpo não lida bem com os ajustes necessários devido ao calor, podem ocorrer desidratação excessiva, aumento da incidência de câimbras, insolação, desmaios, entre outras consequências negativas ao bem-estar e rendimento.
É importante salientar que a forma como lidamos com o calor pode depender de algumas variáveis. O tecido da roupa que estivermos utilizando deve possuir baixa resistência à evaporação, bem como baixa capacidade de absorção de água. Diferentemente do que muitas pessoas pensam, as características do tecido tendem a ser mais importantes do que a cor.
O envelhecimento afeta nossa capacidade termorregulatória e a forma como o nosso corpo lida com a desidratação. O exercício realizado por indivíduos idosos em situações de calor pode apresentar um maior risco cardiovascular. A capacidade física prévia também é um fator preponderante. Se você não pratica exercício físico regularmente, começar a treinar no verão, em momentos do dia de altas temperaturas, não é a situação mais adequada. Caso queira iniciar, opte por momentos do dia mais favoráveis, como início da manhã ou final da tarde.
Alguns outros fatores são importantes de serem levados em consideração previamente à realização de exercício em condições de calor. São eles: estar dormindo bem regularmente; estar bem alimentado nas últimas horas que antecedem o exercício físico; não consumir álcool nas últimas 48 horas; e estar atento aos medicamentos que você utilizou nas últimas horas (analgésicos e anti-inflamatórios).
Tais dicas são importantes cuidados. No entanto, não quer dizer que o exercício não possa ser feito sob condições de temperaturas mais elevadas, mas que a prática requer um maior cuidado. Na dúvida, o exercício sob orientação de um profissional de Educação Física é sempre a melhor resposta.
Gostou do artigo? Então que tal cursar Educação Física na UCS Bento? Sim, aqui tem! Informe-se e faça parte do time campeão da UCS.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.