Acordos podem render parcerias de Bento com as cidades de Abu Dhabi e Victoriaville

Dois projetos de acordos bilaterais com municípios estrangeiros podem render resultados interessantes para Bento Gonçalves nos próximos meses. Após apresentar as propostas de cooperação às cidades de Abu Dhabi – capital dos Emirados Árabes Unidos – e Victoriaville, no Canadá, a prefeitura espera agora pelo retorno que pode viabilizar futuros intercâmbios técnicos e parcerias comerciais.

No caso de Abu Dhabi, para onde o prefeito Guilherme Pasin viajou entre os dias 18 e 26, a convite da Federação de Jiu-Jítsu do país, para prestigiar a final do Mundial da modalidade, a motivação esportiva pode garantir a aproximação entre as duas partes. Além de sediar o projeto “Jiu-Jítsu para todos”, que envolve mais de 500 crianças no contraturno escolar, Bento Gonçalves foi escolhida para sediar, nos dias 28 e 29 deste mês, uma das seletivas do campeonato de 2017 e luta para trazer a final, em fevereiro. Aproveitando a exposição, o Poder Público sugeriu aos árabes a implantação de um centro de treinamento da arte marcial em Bento, que tanto poderia receber instrutores estrangeiros e fortalecer a atividade local como capacitar professores locais para buscarem novas oportunidades fora do Brasil.

Por meio dessa nova porta, Pasin acredita que outros vínculos podem ser estabelecidos, inclusive para a comercialização de produtos como móveis e suco de uva, criando um “acordo guarda-chuva”. “Nós temos hoje uma grande dificuldade de entrar naquele mercado, mas cada vez mais o Brasil está no radar de investimentos deles. Nós precisamos destes investimentos e eles estão em constante busca de diversificação de sua economia”, avalia. Ainda não há, contudo, um prazo definido para uma resposta.

Tecnologia limpa
A proposta de cooperação apresentada a Victoriaville foi entregue há cerca de dois meses, e teve apoio da Fundação Proamb para estreitar a conversa do prefeito com o embaixador do Canadá no Brasil, Riccardo Savone. Situada na província canadense de Quebec, a cidade de pouco mais de 38 mil habitantes atraiu os olhares bento-gonçalvenses por ser reconhecida como um polo produtor de tecnologia limpa. Pasin defende que é preciso “agilizar a transformação” industrial de Bento. “Se a gente permanecer nessa matriz setorial em que estamos, nosso futuro pode não ser tão promissor. Hoje, estamos exportando capital intelectual, porque o nosso mercado não consegue absorver isso”, conclui o prefeito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.