Ano de 2023 encerra com saldo positivo na criação de postos de trabalho em Bento Gonçalves

Boletim do OECON mostra que foram criadas 473 vagas em 2023. Apesar de positivo, número é, 54% menor do que em 2022

Foto: Ascom

Mesmo com forte queda na geração de empregos registrada em dezembro do ano passado (-738), Bento Gonçalves conseguiu fechar o ano com a criação de 473 postos de trabalho em 2023. O número, no entanto, é 54,1% inferior ao registrado no encerramento de 2022, acompanhando a retração verificada no Rio Grande do Sul, que ficou em 52,5% – no Brasil, a queda foi de 26,3%.

Todos os setores contribuíram para o desempenho negativo em dezembro. Indústria teve o maior tombo, com o fechamento de 352 vagas, seguida pelos serviços, com -239. O comércio encerrou 99 postos de trabalho e a construção civil outros 45. O desempenho negativo no mês de dezembro (-738) segue um comportamento que se repete desde 2020 (-224). Sucessivamente, as marcas nesse mesmo mês registraram retração também em 2021 (-699) e em 2022 (-575).


Conforme o boletim do Observatório da Economia (OECON) do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), as atividades dentro dos setores com os maiores saldos negativos em dezembro foram indústria de móveis (-130), educação (-85), indústria de borracha e plástico (-58), transporte terrestre (-47) e indústria de máquinas e equipamentos (-46). “O somatório dos saldos dessas cinco atividades (-366) representa 50% do saldo negativo total de Bento Gonçalves”, observa o autor do boletim, Fabiano Larentis.

Ao olhar o ano em retrospectiva, transporte terrestre (+195), alojamento (+114), comércio de hortifrutigranjeiros (+87), atenção à saúde humana (+59) e fabricação de produtos alimentícios (+38) foram as cinco atividades com maior destaque positivo de 2023. “Somando essas cinco atividades (+493), se ultrapassa o saldo positivo total de Bento Gonçalves do ano”, diz Larentis.

Embora o município tenha ficado apenas com o 24º melhor desempenho dentre os municípios gaúchos na geração de empregos em 2023 (+473), a cidade superou o contingente de empregos formas de 2022. O total ficou em 48.606, 1% a mais do que em 2022 (48.133). Se o número for acrescido dos MEIs, o resultado chega a 61.138 registros. Dessa forma, eles representariam 20,5%. “Ou seja, permanece a relação de que a cada 4 empregos formais no município temos 1 MEI”, constata Larentis.

O volume acumulado de MEIs fechou em 12.532 em dezembro, representando um crescimento de 8% em relação a 2022.  Na composição dos MEIs, as atividades ligadas a serviços continuam em 2023 com mais de 50% do contingente na comparação com 2022, com destaque às participações de comércio varejista, serviços especializados para construção, outras atividades de serviços pessoais, serviços de escritório e publicidade.

Fonte: Exata Comunicação