Ao citarem Dia do Meio Ambiente, vereadores relembram escândalos ambientais em Bento

Agostinho Petroli (MDB) e Rafael Fantin, Dentinho, (PSD) utilizaram parte da fala na tribuna na segunda-feira, 06/06, para relembrar e cobrar soluções acerca de assuntos como o grande desmatamento descoberto no início do ano, a despoluição do Lago Fasolo e o funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto no Barracão

Foto: Reprodução/Facebook

Entre os dias 31/05 e 05/06 foi celebrada a semana do Meio Ambiente, tendo o dia 05/06, domingo, como ápice das ações. O município de Bento Gonçalves comemorou a data com atividades ambientais realizadas, principalmente, nas escolas. As ações faziam parte da Semana do Meio Ambiente Simone Dalla Costa Lemos, em homenagem à servidora pública que foi vítima da COVID-19. Apesar das boas práticas, neste ano o município esteve envolvido em diversos escândalos ambientais que movimentaram a comunidade e a classe política.

Na última sessão da Câmara de Vereadores, realizada na segunda-feira, 06/06, o vereador Agostinho Petroli (MDB) utilizou a tribuna para relembrar parte desses episódios. “Infelizmente, há poucos dias atrás tivemos um desmatamento de grande área no nosso munícipio. Um crime ecológico que não pode ser esquecido e que ainda carece de informações e respostas do munícipio sobre o andamento deste processo”, comentou, em referência ao loteamento irregular que foi interditado em fevereiro deste ano, em uma área localizada às margens da BR-470, próximo às empilhadeiras. No local, foi desmatada uma área de mata de cerca de 10 hectares. 

Ao citar o episódio, Agostinho reforçou que a CPI que visa investigar esse caso ainda aguarda o número suficiente de assinaturas para ser aberta. “Somente três [vereadores] foram dispostos a abertura da CPI até momento. A gente sabe que a investigação do Ministério Público vai demorar e muito. E ficará somente no caso. Quando uma CPI poderia abranger muito mais. Poderia buscar todas as liberações que estavam sendo feitas pela Secretaria do Meio Ambiente. É aí que nós temos que chegar. Talvez aí esteja o medo. Pelo envolvimento de outras pessoas ou outros processos que poderão vir”, declarou. “Não podemos aceitar que um crime desses seja somente mais adiante em troco de 15, 20, 100 ou 500 mil reais. Quando na realidade em cima desse crime muita gente, muitos podem ganhar muito e muito mais. Todo mundo sabe disso”, complementou.

Também ao mencionar a Semana do Meio Ambiente, o vereador Rafael Fantin, Dentinho, (PSD) cobrou soluções sobre o caso. “Nesta semana completa quatro meses do maior desmatamento já realizado em Bento Gonçalves. E o que temos de solução e o que temos de resposta, o que temos de penalização? Nada. Infelizmente nada. Esse é o presente que a gente deixa para essa semana tão importante”, destacou.

Foto: Reprodução/Facebook

Dentinho também lembrou que se a CPI tivesse sido aberta na semana do ocorrido, uma resposta já poderia estar sendo apresentada. “Poderíamos estar aqui apresentando alguma solução. A pergunta é, caros colegas vereadores e sociedade de Bento: temos interesse em se aprofundar nas raízes de uma secretaria do Meio Ambiente ou numa gestão do Executivo relacionadas a políticas públicas de meio ambiente?”, questionou.  

Outra questão levantada durante a sessão por Agostinho foi acerca da situação do Lago do Fasolo, que ainda precisa de atitudes concretas do Poder Público e da Corsan. Conforme a companhia, o projeto definitivo para construção de uma estação de tratamento no local deve ser apresentado ainda neste ano. Após, deverá ser feita uma licitação, com previsão de início das obras ainda neste ano e conclusão em 2024. A ação seria fruto de um planejamento conjunto entre prefeitura e Corsan.

Dentinho também usou a tribuna para ressaltar o trabalho realizado pela Frente Parlamentar em Defesa do Lago Fasolo, da qual faz parte. “Temos uma comissão incansável que trata sobre a revitalização do Lago da Fasolo. Talvez essa seja a única comemoração que tenhamos”, disse. Para ele, falta ação por parte do Executivo. “Precisa de atitude do Executivo. Criamos as soluções, oferecemos ao Executivo. Agora precisamos desapropriar, dizer que é de interesse de Bento Gonçalves e de todos os cidadãos”, enfatizou. Ao concluir sua fala, o vereador do PSD pediu apoio aos colegas para a instauração da CPI. “Fica o convite aos colegas vereadores que, antes tarde do que nunca, venham com os três vereadores que assinaram o pedido de CPI para que a gente aprofunde o tema, aprofunde essa discussão. Que possamos chamar os responsáveis aqui antes que isso caia no esquecimento”, ressaltou.

Por fim, o vereador Agostinho Petroli também cobrou da Corsan a inauguração oficial da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Barracão, a primeira de Bento. O espaço foi finalizado ainda no ano passado, mas ainda precisa haver a ligação das residências para que, propriamente, comece a funcionar – algo que, segundo a Corsan, está previsto para iniciar nesta segunda metade de 2022.

“Também poderíamos estar comemorando nesse Dia do Meio Ambiente ou Semana do Meio Ambiente a inauguração da segunda ou terceira Estação de Tratamento em nossa cidade. Sim, porque a primeira já foi inaugurada por quatro ou cinco vezes e ainda não está em funcionamento”, disse. “Poderíamos estar inaugurando ou comemorando a inauguração dessas ETEs. Poderíamos estar punindo os responsáveis por aquele desmatamento ecológico, com recuperação daquelas áreas ou outras áreas muito maiores. Como punição. Como também poderíamos estar comemorando a desapropriação da área da Fasolo para início da sua recuperação”, lamentou.

Ainda neste ano, a Associação Ativista Ecológica (AAECO) denunciou irregularidades no licenciamento de obras no loteamento Paim, no bairro São Vendelino, além da suposta supressão irregular de dois riachos no local. Para ambos os fatos, do loteamento às margens da BR-470 e do loteamento Paim, o Ministério Público segue com as investigações. 

Notícia atualizada às 17h40.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.