Ao completar 30 anos, Grupo Uniftec anuncia investimentos e reestrutura marca

Estimular o avanço científico e tecnológico e preparar as pessoas para o mundo do trabalho e para a vida sempre esteve no DNA do Grupo Uniftec. Um propósito iniciado em 1991 e que se renova no ano em que celebra três décadas. Ao completar 30 anos nesta quinta-feira, 09/09, o Grupo Uniftec comemora uma trajetória de conquistas e crescimento e anuncia a reestruturação da marca e importantes investimentos na educação regional. 

Com seis unidades em Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Novo Hamburgo e Porto Alegre, abrigando atualmente 12 mil alunos, 364 professores e 242 funcionários, tem seu embrião no início dos anos 1990, com a criação de uma pequena escola de informática, a Datapro, que em 1995 se tornaria a rede de franchising Tecnológica DataBrasil e, em 1997, a escola técnica TecBrasil. Em 2002, o credenciamento pelo MEC da Faculdade de Tecnologia Ftec inaugurou uma nova fase para a instituição, que em 10 anos agregaria o ensino a distância (EAD) ao seu portfólio de oportunidades, hoje composto por 58 cursos de graduação, 22 de pósgraduação e 331 cursos livres. Em 30 anos, estima-se que mais de 18 mil alunos tenham se formado em algum curso técnico ou de graduação oferecido pelo Grupo Uniftec. Outros marcos importantes foram a implantação do Laboratório de Tecnologia (iLab), em 2014, e o credenciamento como Centro Universitário UniFtec, em 2016.

R$ 100 milhões em investimentos na próxima década

E, rumo às próximas três décadas, o reitor e fundador, Claudio Meneguzzi Jr., cita a necessidade de investimentos como fator determinante para manter os negócios em crescimento. “Estamos investindo bastante no ensino superior, em todas as unidades, e no lançamento do Colégio Polyuni. Em nosso ecossistema, que integra setor educacional e produtivo, temos vários investimentos em startups e na TecnoBridge, empresa tecnológica que atua fortemente em áreas inovadoras como Inteligência Artificial e Realidade Imersiva, dentre outras novas tecnologias, já tendo como clientes grandes empresas brasileiras. Planejamos, organicamente, para os próximos 10 anos, mais de R$ 100 milhões em investimentos próprios, e estamos em fase avançada de estudos para agregar a isso um crescimento inorgânico, fruto de investimentos externos, através da entrada de parceiros em nossas instituições e empresas, mas com o cuidado de manter a nossa autonomia e estratégia.”


Claudio Meneguzzi Junior, reitor e fundador. Foto: Lucas Gabriel Paim da Rosa 

Holding educacional e colégio de alto desempenho

Para marcar os 30 anos, o reitor e fundador, Meneguzzi Jr., anuncia a reestruturação do branding e da estrutura de capital do grupo, que passa a operar como uma holding educacional com a marca Ecoinove – Ecossistema de Inovação Educacional. A mudança é necessária devido à ampliação de atuação do grupo na área de educação para além do Ensino Superior, que passa a contar com a marca Polyuni, um colégio de alto desempenho surgido da necessidade de formar capital humano diferenciado já a partir do Ensino Médio. “Constatamos que, em nosso mercado, não temos uma escola de alta performance no ENEM que esteja entre as 100 melhores ranqueadas no Brasil. Isso nos motivou a criar esta oferta contemporânea, com metodologia própria e totalmente alinhada com o ecossistema Ecoinove e com as diretrizes do novo ensino médio."

Entre os objetivos do Colégio Polyuni estão o alinhamento da teoria à prática, utilizando os laboratórios e salas pedagógicas, aproximando e contextualizando o universo cotidiano dos estudantes; a implantação do PPM – Programa Preparatório para o Mundo do Trabalho; o incentivo à participação dos estudantes em olimpíadas de diversas áreas do conhecimento, de âmbito nacional e internacional; e o desenvolvimento da iniciação científica, da autonomia e do espírito crítico e criativo. O processo seletivo abrirá em outubro e as aulas, em turno integral, começam no primeiro semestre de 2022. A primeira turma, de 40 alunos, será dividida entre 75% e 80% pagantes e 20% a 25% de bolsistas mérito, selecionados a partir de análise de ficha socioeconômica e provas.

“Setores produtivo e educacional precisam convergir”

A criação da holding educacional Ecoinove também dará mais suporte ao ecossistema educacional/empreendedor e tecnológico da instituição, que inclui ainda o ambiente para geração e manutenção de startups e empresas tecnológicas, denominado EcoinoveLabs. “Uma instituição como a nossa precisa identificar para os nossos alunos e egressos uma opção para a vida, não só a habilitação para o exercício de uma profissão universitária ou técnica. Precisa integrar o ensino com a possibilidade do empreendedorismo e ser identificada como um espaço de geração de tecnologia e novos modelos de negócio, inerentes a este mundo em rápida transformação que vivemos, sendo agente de mudança das pessoas e sociedade” reforça o reitor.

E acrescenta: “Neste sentido, precisamos começar a formar capital humano desde a tenra idade da criança até a formação continuada do profissional/empreendedor que o mundo atual necessita. Consequentemente, precisamos ter condições de prover a oferta educacional em todos os níveis e modalidades, não só no superior. Esta ampliação de proposito passou a ser um caminho estratégico que iremos trilhar para continuemos relevantes nas comunidades onde atuamos e aptos a cumprir o nosso papel na sociedade. Os setores produtivo e educacional precisam convergir e estar integrados. Por isso, projetos acadêmicos precisam gerar iniciação cientifica e tecnológica”.


Maurício Barros, diretor-executivo (CEO). Foto: Lucas Gabriel Paim da Rosa 

Uniftec em números

Alunos: 12 mil
Professores: 364 (178 doutores e 50 mestres)
Funcionários administrativos: 242
Funcionários Startups Ecoinovelabs: 47
Unidades: 6 (1 em Caxias do Sul, 2 em Bento Gonçalves, 2 em Porto Alegre e 1 em Novo
Hamburgo)
Cursos de graduação: 58 (30 Presenciais + 20 EAD + 8 Semi) + 10 (7 presenciais + 3
EAD)
Cursos de pós-graduação: 22 (5 presenciais + 10 EAD + 7 MBA)
Outros cursos: 331 cursos livres (com instituições parceiras)
Polos EAD: 10
Alunos formados em 30 anos: Mais de 100 mil (18.183 em graduações e técnicos)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.