Aos 67 anos, morre Manoelito Savaris, presidente do MTG

Velório ocorre neste sábado, 17/06, em Caxias do Sul; sepultamento será em Bento Gonçalves

Foto: Rogerio Bastos/MTG/Divulgação

O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Manoelito Carlos Savaris, morreu na madrugada deste sábado, 17/06, aos 67 anos, vítima de um câncer.

Natural de Casca, Manoelito era oficial da reserva da Brigada Militar e bacharel em História. Além disso, ao longo de sua trajetória, publicou vários livros, tais como: “Manual do Tradicionalismo Gaúcho” e “Rio Grande do Sul: História e Identidade”.


No MTG, Manoelito estava no 9º mandato, tendo assumido o primeiro em 2001.

O velório ocorre neste sábado no Memorial São José, em Caxias do Sul, entre 8h e 00h. No domingo, 18/06, está marcada a missa de corpo presente para às 9h. O sepultamento será em Bento Gonçalves.

Manoelito deixa esposa, três filhos e quatro netos.

Confira a nota divulgada pelo MTG:

“O Movimento Tradicionalista Gaúcho e o Rio Grande se despedem de um grande líder. Faleceu na madrugada deste sábado, aos 67 anos, o presidente do MTG, Manoelito Carlos Savaris. Natural de Casca/RS, mas aquerenciado em Caxias do Sul, Savaris era oficial da Reserva da Brigada Militar e bacharel em História. Estava à frente do Movimento Tradicionalista Gaúcho em seu 9º mandado (2001/2003 (3), 2005/2006(2), 2014/2015(2), 2021/2022(1) e 2023).

Savaris foi patrão do CTG Heróis Farroupilhas e do CTG Campo dos Bugres, ambos de Caxias do Sul, coordenou a 25ª RT em 1996 e 1997; foi vice-presidente de Administração do MTG, em 1999 e 2000 ao lado de Jayr Lima. Presidiu o já extinto Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), de 2007 a 2010; e foi presidente da Confederação Brasileira de Tradição Gaúcha (CBTG), em 2012 e 2013. Escritor, pesquisador e historiador, é autor de vários livros, entre eles “Rio Grande do Sul: história e Identidade” e “Manual de Tradicionalismo Gaúcho”, ambos publicados pelo MTG


Liderança incontestável, sempre chamou para si as grandes responsabilidades e decisões, independentemente do tipo de pressão que exercesse, buscando sempre resolver as questões dentro dos regulamentos em vigor. Savaris deixa a esposa, Odila Paese Savaris, três filhos, Tiago, Tomás e Alina, e quatro netos”.