Após 131 dias internada, bebê recebe alta do Hospital Tacchini, em Bento

Maria Vitória Boakoski pesava 700 gramas quando nasceu, em 13 de julho; agora, ela vai pra casa com mais de 2,8 kg

Foto: Hospital Tacchini

Quando veio ao mundo a partir das mãos da equipe multiprofissional do Centro Obstétrico do Hospital Tacchini, no dia 13 de julho deste ano, a pequena Maria Vitória Boakoski Viana pesava apenas 700 gramas. Nascida após 24 semanas e 1 dia de gestação, ela precisou passar por 131 dias de internação até receber a melhor notícia de sua vida e da vida de seus pais, Cristiane de Souza Viana e Orlando Boakoski: a alta hospitalar.

Maria Vitória deixou pela primeira vez o Hospital Tacchini pesando 2.880 kg. Durante sua jornada de quase 5 meses, ela passou 73 dias na UTI Neonatal, 50 dias na UTI Pediátrica e 8 dias em leito de internação. 


“Durante a internação Maria Vitória passou por diversos desafios devido a imaturidade extrema, e contou com a presença dos pais como parte fundamental do cuidado. O que também ajudou muito no desenvolvimento dela foi a alimentação com leite humano, fornecido pelo Banco de Leite Ama Tacchini. Nós ficamos muito felizes em fazer parte das primeiras vitórias da Maria. Certamente, muitas outras ainda estão por vir”, descreve Martina Michaelis Bergmann, coordenadora de enfermagem do processo materno-infantil do Tacchini. 

Desafios da prematuridade 

Mesmo com os cuidados, a prematuridade é um desafio enfrentado por muitos bebês ao redor do mundo. Estima-se que um em cada dez bebês nasçam antes de 37 semanas de gestação, totalizando aproximadamente 15 milhões de crianças anualmente.

A UTI Neonatal do Hospital Tacchini tem se destacado no atendimento a bebês prematuros. A equipe multiprofissional, composta por profissionais qualificados, trabalha para oferecer os cuidados necessários e proporcionar as melhores chances de crescimento e desenvolvimento aos bebês. 

Esse cuidado pode ser traduzido em números. Historicamente, a UTI Neonatal do Hospital Tacchini registra 90% de sobrevivência para bebês que nascem com menos de 1,5 quilos. A porcentagem é comparada a hospitais de ponta localizados em países desenvolvidos da Europa e América do Norte.