Após dias de angústia, cavalos sobreviventes de abatedouro clandestino finalmente estão a salvo

Animais estão sob cuidados da PAC e da Soama de Caxias do Sul e estarão disponíveis para adoção após tratamento

Fotos: Divulgação PAC

Pantufa, Príncipe, Vitória, Celeste, Star e Raio de Sol. Assim foram chamados os seis animais (um cavalo, uma jumenta e quatro éguas) sobreviventes do abatedouro clandestino de Caxias do Sul. O local e a organização criminosa foi descoberta pelo Ministério Público neste mês de novembro, durante a Operação Hipo. Desde então, as ONGs Proteção Animal Caxias (PAC) e a Sociedade Amigos dos Animais (Soama), estavam engajadas em localizar e resgatar os sobreviventes.

Após dias de angústia e longa espera – sem saber exatamente quantos animais eram no total e a condição em que estavam – os cavalos finalmente retornaram a Caxias do Sul na sexta-feira, 26/11. Eles haviam sido levados para o município de Hulha Negra, onde supostamente seriam abatidos em um abatedouro “legalizado”.

Agora, em parceria com a Universidade de Caxias do Sul, os animais serão tratados e, posteriormente, estarão disponíveis para adoção – a fila de interessados, segundo as ONGs, já é longa.

“Olhando nos olhos de cada um, o sofrimento estava presente. O que passaram está guardado dentro de seus corações”, escreveu a PAC. “Mas hoje começa uma nova história um novo recomeço. Não podemos mudar o passado, mas com certeza o futuro de cada um deles. Agora é amor, carinho e uma vida digna”, finalizou a ONG.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.