Após pedido nas redes sociais, Bolsonaro libera retirada de pets de brasileiros da Ucrânia

Ativista Luisa Mell mobilizou Instagram após receber a mensagem de uma brasileira na Ucrânia afirmando que o avião da FAB destinado ao resgate de brasileiros não queria levar seu animal de estimação

O presidente Jair Bolsonaro informou na sexta-feira, 04/03, que a Força Aérea Brasileira (FAB) vai transportar os animais de estimação de brasileiros que estão em Varsóvia, na Polônia, e que serão repatriados na semana que vem em um voo que está sendo organizado pelo governo brasileiro. O assunto mobilizou as redes sociais, principalmente após a ativista Luisa Mell receber uma mensagem desesperada de uma brasileira na Ucrânia. “Eu morava em Kiev e tive que sair correndo por causa do bombardeio. Me mudei para a fronteira com a Polônia. Deixei tudo para trás e trouxe o que mais importava e uma das coisas é meu cachorro. Agora eu estou prestes a ser evacuada pela embaixada do Brasil, mas a FAB se recusa a transportar cachorros de focinha curto. Eu to saindo correndo do país, não tenho condições de fazer esses papeis agora”, desabafou na quinta-feira, 03/03.

No dia seguinte, o Itamaraty publicou uma foto de duas brasileiras com os seus cachorros, incluindo a mulher que pediu ajuda para Luisa Mell, com a seguinte legenda: “Por orientação do Presidente @jairmessiasbolsonaro, o #Itamaraty e o @mindefesa estão mobilizados para retirar também os #pets das zonas de risco”.

“Após contato com os Ministros das Relações Exteriores e da Defesa, dei sinal verde à FAB para o embarque dos cães que acompanham aqueles brasileiros no retorno à Pátria”, postou o presidente no Twitter. Os cidadãos brasileiros estão na Polônia após terem fugido da Ucrânia, país vizinho, que vem sofrendo uma invasão militar da Rússia.   

A previsão é que a aeronave multimissão KC-390 Millennium parta da Base Aérea de Brasília na segunda-feira, 07/03, com destino a Varsóvia, onde os brasileiros embarcarão de acordo com definições do Ministério das Relações Exteriores, que coordena a missão de resgate em conjunto com o Ministério da Defesa.

No voo de ida, serão transportadas 11,5 toneladas de material de ajuda humanitária a ser doado pelo Brasil. A previsão é que o KC-390 retorne ao Brasil na quinta-feira (10) pela manhã.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.