Após polêmica, projeto de viagem à Itália com diárias da Câmara de Bento é retirado de pauta

A Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves votaria, na noite desta segunda-feira, dia 23, a concessão de licença e 13 diárias mais passagens aéreas para uma viagem do vereador Moisés Scussel Neto (PSDB). O parlamentar integraria uma comitiva da Associação dos Municípios de Turismo da Região dos Vales da (Amturvales), que acompanhará, entre outras atividades, a renovação do Tratado de Cidades Irmãs entre o município de Trichiana, na Província de Belluno, e a cidade de Dois Lajeados, de onde partiu o convite. A proposta, no entanto, nem chegou a ser votada: foi retirada de pauta, a pedido do próprio Scussel, depois da polêmica gerada ao longo do dia nas redes sociais, em que muitos cidadãos criticaram o gasto de dinheiro público com a visita ao país europeu.

Cada diária em terras italianas custaria R$ 746,83. Assim, mesmo sem considerar o valor dos bilhetes aéreos, o gasto seria de R$ 9,7 mil. As passagens, segundo consulta em site de viagens, podem variar de R$ 3 mil a R$ 6 mil no período. Segundo o texto, a visita da comitiva “terá, também, como objetivo a viabilização de novos projetos e conhecer inúmeros setores produtivos, entre os quais: Cantinas DOC.G — Vinhos e Grappa, produção de queijos certificados, novos museus, percursos turísticos para ciclistas, mobiliário urbano, fábricas e encontros institucionais.”

Em seu pronunciamento na tribuna, no início da sessão ordinária, o vereador fez questão de esclarecer que o convite foi direcionado ao Legislativo bento-gonçalvense e a Mesa Diretora indicou seu nome. "Não foi um pedido meu, foi uma designação desta Casa, com aceitação deste vereador", afirmou Scussel, que complementou dizendo que a escolha não tem vinculação ao fato de ele ser natural de Dois Lajeados. Ele ainda apresentou suas justificativas à importância da viagem, que poderia render futuras parcerias entre Bento Gonçalves e cidades italianas, já que a comitiva também realizaria encontros com representantes locais e visitas técnicas.

O projeto, de autoria da Mesa Diretora da Casa, foi assinado pelo presidente Valdecir Rubbo (PTB), pelo vice-presidente Gilmar Pessuto (PSDB) e pelo primeiro secretário Márcio Pilotti (PSDB). O segundo secretário Paulo Roberto Cavalli (PTB) não assinou o documento.

(Foto: Câmara de Vereadores/Divulgação)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.