Bento aguarda posicionamento oficial do Estado para vacinação de adolescentes

Municípios de diversos estados do país já haviam iniciado, ou ao menos anunciado, o calendário de vacinação de adolescentes contra a COVID-19, a partir da autorização por parte do Ministério da Saúde. Entretanto, uma nova nota técnica publicada na quarta-feira, 15/09, pelo Ministério, mudou algumas programações. A partir desse documento, o governo federal passou a recomendar a vacinação apenas para os adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

Em Bento Gonçalves, conforme a secretaria municipal de Saúde, o início da imunização dos adolescentes sem comorbidades estava previsto para terça-feira, 21/09, a partir da chegada de novas doses nesta sexta-feira, 17/09. Com o novo anúncio do Ministério da Saúde, a pasta afirma que está aguardando um posicionamento oficial do governo do Estado, a fim de decidir se mantém, ou suspende o calendário previsto.

Em outros municípios da região, como Garibaldi, a vacinação dos adolescentes segue mantida. No sábado, 18/09, serão imunizados os jovens de 17 anos. A imunização será por ordem de chegada na sala de vacinas do Ginásio Municipal de Esportes, das 8h30 às 12h e das 13h às 16h. Para receber a vacina é necessário apresentar documento (RG e CPF) e carteira de vacinação. 

O município de Caxias do Sul também deu seguimento à sua campanha. A vacinação de adolescentes sem doenças pré-existentes começou ainda na quarta-feira, 15/09, e teve seguimento na quinta-feira, 16/09. A primeira dose para esse público está sendo ofertada no formato drive-thru, nos Pavilhões da Festa da Uva e em unidades básicas de saúde.

Já nesta sexta-feira, 17/09, a prefeitura de Caxias seguirá vacinando os adolescentes de 16 e 17 anos que não conseguiram se imunizar na quarta e na quinta-feira. A continuidade da vacinação para as demais idades, de acordo com a prefeitura, dependerá de novas orientações do Estado.

Foto: Breno Esaki/Agência Brasil
 

Sobre a suspensão

O Ministério da Saúde citou, entre outros argumentos para revisar a recomendação da imunização em adolescentes, o fato de que os benefícios da vacinação nesse público sem comorbidade ainda não estão claramente definidos e que a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda imunização de adolescentes com ou sem comorbidades.

A OMS, entretanto, não chegou a afirmar que a imunização de adolescentes não deveria ser realizada. Em vídeo publicado em junho, a organização disse apenas que, neste momento, a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos não é prioritária.
O ministério também argumentou que a decisão foi tomada devido ao fato de a maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela covid-19 apresentarem evolução benigna da doença.

Outro ponto levantado foi o de que houve uma redução na média móvel de casos e óbitos (queda de 60% no número de casos e queda de mais de 58% no número de óbitos por COVID-19 nos últimos 60 dias) com melhora do cenário epidemiológico.

Após a publicação da nota, algumas cidades anunciaram a suspensão da vacinação de adolescentes, entre elas, as prefeituras de Natal (RN) e Salvador (BA). O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, decidiu seguir a recomendação do ministério e também suspendeu a imunização de adolescentes na capital federal. São Paulo vai seguir a vacinação.
 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.