Bento passará a contar com quase 90 câmeras de videomonitoramento

Por meio da segunda fase do projeto Sentinela da Serra serão adquiridos mais 22 equipamentos para auxiliar na detecção de veículos roubados/furtados, na intercepção de criminosos e nas investigações dos delitos cometidos na cidade

Foto: Divulgação

O município de Bento Gonçalves foi pioneiro na implantação de um sistema de cercamento eletrônico na Serra Gaúcha, ainda em 2017. Na época, a cidade contava com 29 câmeras com programas analítico e sinóptico e outras três que faziam a leitura de placas de veículos. Atualmente, o número saltou para 65 câmeras de videomonitoramento e cercamento eletrônico, mas chegará ao total de 87 neste ano. Isso porque a Coordenadoria de Tecnologia de Informação e Comunicação (CTEC) da prefeitura de Bento deu início à licitação para a compra de novos equipamentos. O pregão eletrônico será realizado no dia 01/04, às 13h30.

No total, serão 22 novas câmeras de videomonitoramento, que incluem três diferentes modelos: “LPR”, que se destina à leitura/fiscalização de placas dos veículos que circulam na cidade; “Speed Dome”, que são câmeras que possuem zoom óptico, se movimentam por 360º e podem ser controladas de forma remota por meio da central de videomonitoramento; e “Bullet”, câmera de segurança ideal para espaços externos. A aquisição faz parte da segunda fase do projeto intitulado “Sentinela da Serra”. Na primeira fase, foi realizada a contratação de uma empresa especializada para executar a manutenção preventiva e restaurativa das autuais câmeras do município.

As câmeras, segundo o secretário de Segurança tenente-coronel Paulo César de Carvalho, estão sendo instaladas em pontos estratégicos do município – tanto na área urbana quanto no interior de Bento, levando em consideração os índices criminais e as rotas de fuga já utilizadas por criminosos. As imagens obtidas pelos equipamentos são transmitidas, por meio de rede óptica, até o Centro Integrado (CIOP) do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º BPAT), localizado no bairro Cohab. Essa central “é composta por estações de monitoramento com videowall, pelas quais os agentes de segurança monitoram as imagens 24 horas por dia”, relata. Essas imagens ficam disponíveis pelo período mínimo de 30 dias e acabam armazenadas no servidor de imagens, para que possam ser utilizadas posteriormente caso necessário. “O sistema de monitoramento proporciona de forma automática a integração dos diversos dispositivos instalados, sendo possível registrar eventos por meio de imagens, de forma a tornar verdadeira e eficiente a detecção e a solução de ocorrências”, explica o secretário.

O domínio das imagens é da Brigada Militar, que faz o monitoramento em tempo real. Entretanto, todos os demais órgãos de segurança podem ter acesso aos registros por meio de solicitação via ofício. “Há um local reservado para a Polícia Civil no Centro Integrado da Brigada Militar. Essas imagens ficam armazenadas em servidores que, futuramente, também auxiliam em investigações criminais”, comenta.

De acordo com o comandante do 3º BPAT, Artur Marques de Barcellos, regularmente um policial militar acompanha o videomonitoramento e, de pronto, repassa situações flagradas às viaturas em serviço nas ruas da cidade, “ou mesmo busca câmeras específicas para verificar fatos ocorridos e monitora o deslocamento de criminosos logo após o cometimento de delitos”, relata. “As informações são repassadas via rede de rádio ou aplicativos”, complementa o comandante.

Foto: Divulgação

Investimento

Na primeira fase do projeto Sentinela da Serra, com o contrato de manutenção preventiva e corretiva das câmeras, o município tem investido o total de R$ 17.225,62 mensalmente. O contrato está vigente desde dezembro do ano passado e seguirá até dezembro deste ano. Agora, nesta segunda fase do projeto, o investimento será de R$ 341.006,20.

Além do investimento da administração municipal, o sistema de cercamento eletrônico e videomonitoramento tem contato com investimentos públicos e privados, desde a criação do Centro Integrado de Operações da BM.
Conforme o comandante do 3º BPAT, recursos do Estado do RS, por exemplo, possibilitaram a compra de 16 câmeras, pelo valor de R$ 700 mil. “Com os novos investimentos dentro do projeto Avançar na Segurança, há a previsão de aquisição de equipamentos para leitura facial e de placas de veículos. Ainda sem quantidade especificada e previsão de recebimento”, adianta.

O secretário de Segurança de Bento complementa que Bento também deverá adquirir novas câmeras futuramente, conseguindo monitorar “os carros que entram e saem do perímetro urbano, observar qualquer tipo de problemas relacionados à Segurança Pública, além de acompanharmos em tempo real os principais pontos do município, como rodoviária, praças e escolas, e enviar apoio policial para o local, o mais breve possível”. Carvalho ainda cita a sensação de segurança que as câmeras têm trazido à comunidade. “Quando um cidadão avistar uma câmera de monitoramento, saberá que ali estará presente o olhar vigilante das Forças de Segurança do município, com parceria total da prefeitura municipal de Bento Gonçalves”, comenta.

Os pontos de instalação das novas câmeras já estão sendo mapeados pela administração público, a partir de um trabalho da secretaria de Segurança, com apoio dos setores de inteligência da Guarda Civil Municipal (GCM), da Brigada Militar e das demais forças de segurança de Bento.

“O cercamento eletrônico, além de ser fator de prevenção à criminalidade, auxilia de sobremaneira na detecção de veículos furtados e roubados, bem como na interceptação de criminosos quando flagrados pelas câmeras. Sem falar na investigação pós-delito”, complementa o comandante Artur Marques de Barcellos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.