Biblioteca Pública Castro Alves dá início ao projeto “Sou Visível”

A intenção é proporcionar, através da leitura de contos, crônicas, letras de músicas e audição das mesmas, e cines-debates, uma nova releitura social junto a pessoas em situação de rua

Fotos: Secretaria da Cultura 

Com o objetivo de ampliar o acesso à leitura, ao livro e à interação cultural, a Prefeitura de Bento Gonçalves, por meio da secretaria de Cultura (SC) e Biblioteca Pública Castro Alves, em parceria com a secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social (SEDES) e CREAS, iniciou essa semana as atividades do projeto “Sou Visível”. A intenção é proporcionar, através da leitura de contos, crônicas, letras de músicas e audição das mesmas, e cines-debates, uma nova releitura social junto a pessoas em situação de rua. Os encontros ocorrem todas às quartas-feiras, a partir das 13h30, em locais como a Casa de Passagem (rua Francisco Navarini, 136, bairro Maria Goretti), na Biblioteca Pública (rua Barão do Rio Branco, 123, bairro Centro) e no CREAS (RUA Caetano da Rolt, 434, bairro Universitário). Serão um total de 12 encontros.

Conforme o Manifesto IFLA/UNESCO sobre Bibliotecas Públicas, as três missões-chave da biblioteca pública, mencionados em seu terceiro, sétimo e oitavo parágrafo, são: “assegurar a cada pessoa os meios para evoluir de forma criativa; fomentar o diálogo inter-cultural das artes do espetáculo; apoiar a tradição oral.”

Desta forma, a Biblioteca Pública Castro Alves criou o projeto que tem como estrutura a valorização e o reconhecimento de cada indivíduo.

A orientadora educacional da instituição, Cláudia Refatti Benato, enfatiza a importância do projeto. “Proporcionar o prazer da leitura às pessoas que talvez nunca tenham entrado numa Biblioteca, esse é o motivo pelo qual criamos o projeto itinerante ‘Sou Visível’, onde buscamos levar o gosto pela leitura para quem não tem acesso aos livros. Os primeiros três encontros ocorrerão na Casa de Passagem, depois nas dependências do CREAS e encerrando em nossa Biblioteca Pública Castro Alves”.

A bibliotecária Paula Porto ressalta sobre o trabalho realizado em prol das pessoas em situação de rua. “Uma das intenções do projeto ‘Sou visível’, é tentar resgatá-los para serem inseridos na sociedade. Através de rodas de conversas literárias, que sabemos o poder de transformar e inspirar, iremos trabalhar com temáticas que mostrem para eles os direitos que têm”.

O secretário de Cultura, Evandro Soares, destaca os benefícios do projeto para a sociedade. “Oferece atividades em formatos acessíveis para uma plena fruição cultural. Todos têm direitos à cidadania cultural, e o projeto promove esses espaços que estimulam a participação e a interação efetiva. É um processo integrativo salutar onde busca-se a valorização e reconexão com a cultura e a arte”.

Círculo Restaurativo

“Sou Visível” tem como referência base “História para quem tem história”, que contempla grupos da Melhor Idade e traz como dinâmica de trabalho os Círculos de Construção de Paz que possibilitam a integração dos membros. Dessa forma, o projeto foi adaptado conforme as necessidades das atividades propostas.

Assim, no primeiro encontro que ocorreu na Casa de Passagem,  junto com o monitor do local e profissionais do CREAS, foi apresentado sobre o que é o projeto, o conceito “Teia da Vida” e “Palma da Mão”, leitura do texto “Semear sempre” (autor desconhecido), compromissos para a semana, sorteio de livros e avaliações.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.