Brechó Bicho Carente já ajudou dezenas de animais em Bento

Diante da pouca mobilização por parte do Poder Público e da comunidade como um todo em relação à causa animal, ONGs e protetoras independentes têm criado novas formas de arrecadar valores para possibilitar o resgate de animais em Bento Gonçalves. Diariamente, dezenas de pedidos de ajuda para animais feridos, abandonados, perdidos ou de famílias em vulnerabilidade social chegam pelas redes sociais das protetoras – um grupo pequeno de mulheres engajadas que, mesmo com dezenas de animais sob seus cuidados, não negam ajuda. “Não recebemos ajuda do Poder Pública e muitas pessoas encontram animais precisando de ajuda e acabam jogando a responsabilidade para a gente. Então quem gosta de verdade, acaba ficando sobrecarregado e gastando bastante”, desabafa a protetora Ivone De Villa. 

Há cerca de sete anos trabalhando com a causa animal, no ano passado Ivone decidiu dar mais um passo em prol das dezenas de cães e gatos que precisam de amparo no município. Em fevereiro de 2020, a protetora criou o Brechó Bicho Carente, a fim de reverter o valor da venda de peças de roupas e calçados para os animais. “Consegui esse espaço por um preço bom e, graças a Deus, está indo muito bem”, comemora Ivone. 


 

O espaço está localizado na rua Dante Larentis, número 185, bairro Cidade Alta. No local são comercializadas peças de roupa infantil, masculina e feminina de todos os tamanhos, além de calçados, acessórios, agasalhos, brinquedos e até mesmo eletrodoméstico em boas condições de uso. “Tudo que vier em boas condições, nós vendemos” comenta. 

Mensalmente, Ivone lucra cerca de R$ 3 mil, os quais são inteiramente revertidos para a causa animal. “Às vezes preciso tirar do meu bolso, porque o valor não dá conta da alta demanda de pedidos de ajuda. Principalmente no verão, quando as peças têm um valor mais baixo”, relata Ivone.


 

Apelo para doações

Apesar das vendas estarem surtindo resultados animadores, a protetora reflete a preocupação com a pouca quantidade de doações que tem recebido desde o início do brechó. “Muitas vezes me obrigo a comprar peças para revender. Então se as pessoas doassem mais, sobraria mais dinheiro para a causa”, faz o apelo. 

No local é aceita qualquer peça que esteja em boas condições para venda. As pessoas ainda podem deixar no brechó doações de ração e medicamento para cães e gatos, os quais são encaminhados para tutores em vulnerabilidade social ou utilizados pelas protetoras em animais resgatados. 

O brechó conta com duas voluntárias durante a semana, uma no turno da manhã e, outra, no turno da tarde. O horário de funcionamento é das 8h às 18h, sem fechar ao meio-dia. Aos sábados, Ivone faz o atendimento aos clientes, das 8h às 12h. Durante a semana, a protetora adaptou sua rotina para ir atrás de mercadorias para o brechó e continuar auxiliando os animais que precisam de ajuda no município. Na semana passada, juntamente com a protetora Elenir de Souza, Ivone auxiliou na confecção de cobertores para distribuir aos animais, devido às baixas temperaturas. Também no mesmo período, comprou casinhas e cobertas para dois cães que foram abandonados próximo ao local onde reside. Sem contar as dezenas de animais que estão em lar temporário, sob seus cuidados, e os projetos e ações que auxilia das demais protetoras em Bento.

Em média, desde que o brechó abriu suas portas do ano passado, cerca de 70 animais já foram auxiliados com os valores arrecadados.  “Estou bem feliz com o trabalho. Está evoluindo bem. As pessoas vêm aqui e gostam do produto, porque são peças limpas, bem arrumadas, sem manchas. Às vezes vendo, inclusive, peças novas, que negocio com algumas amigas que têm loja”, acrescenta a protetora. 

Como recado à comunidade, Ivone pede que as pessoas ajudem mais a causa animal, seja com doações em ração e peças para o brechó, ou com doações em dinheiro. “Qualquer valor, por menor que seja, faz muita diferença”, reforça. 


Alguns dos animais já auxiliados por Ivone.
 

O Brechó Bicho Carente está localizado na rua Dante Larentis, número 185, bairro Cidade Alta. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h e, aos sábados, das 8h às 12h. Mais informações diretamente com Ivone pelo telefone (54) 99927-1556.

 

Fotos: Eduarda Bucco
 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.