Caixa Federal emite nota sobre acusações de assédio sexual contra ex-presidente

A empresa destacou que repudia qualquer tipo de assédio e que recebeu, por meio do seu canal de denúncias, relato de casos desta natureza na instituição

Antonio Cruz/Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal divulgou uma nota oficial à imprensa na manhã desta quinta-feira, 30/06, em relação as acusações de assédio sexual contra o, agora, ex-presidente Pedro Guimarães. No documento, a Caixa destaca que “repudia qualquer tipo de assédio e informa que recebeu, por meio do seu canal de denúncias, relato de casos desta natureza na instituição. A investigação corre em sigilo, no âmbito da Corregedoria, motivo pelo qual não era de conhecimento das outras áreas do banco”.

A instituição também afirmou que o seu canal de denúncias é administrado por um órgão externo, que garante transparência, segurança e proteção para denunciantes (empregados, clientes, usuários, terceirizados, parceiros) que queiram apontar atos ilícitos cometidos por empregados Caixa ou que tenham tido sua participação.

De acordo com a Caixa, “no âmbito da investigação interna que está em andamento, instaurada em maio de 2022, foram realizados contatos com o/a denunciante, que permanece anônimo/a”. Foram ainda realizadas diligências internas que redundaram em material preliminar, que está em avaliação. A Corregedoria admitiu a denúncia e deu notícia ao/à denunciante, se colocando à inteira disposição para colher o seu depoimento, mantendo seu anonimato.

O caso

No comando da instituição desde janeiro de 2019, Guimarães, que era indicado do presidente Jair Bolsonaro (PL), pediu demissão após site noticioso publicar na terça-feira, 28/06, acusações de funcionárias de carreira da Caixa que o acusavam de assédio sexual. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público Federal.

“Na atuação como presidente da Caixa, sempre me empenhei no combate a toda forma de assédio, repelindo toda e qualquer forma de violência, em quaisquer de suas possíveis configurações. As acusações noticiadas não são verdadeiras! Repito: as acusações não são verdadeiras e não refletem a minha postura profissional e nem pessoal. Tenho a plena certeza de que estas acusações não se sustentarão ao passar por uma avaliação técnica e isenta”, escreveu Guimarães, que também postou a carta na rede social Instagram.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.