Campanha eleitoral inicia nesta terça-feira

A partir desta terça-feira, dia 16 de agosto, está dada a largada para o início da campanha política. A principal mudança para o pleito deste ano é a redução no tempo de campanha e de propagandas: de 90 para 45 dias. A votação ocorre no primeiro domingo de outubro, dia 2, das 8h às 17h.

De hoje até o dia 1º de outubro, véspera do pleito, está autorizada a distribuição de material gráfico, caminhada, carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos. Também está permitida propaganda eleitoral na internet, desde que não seja paga.  

Em Bento Gonçalves, quatro candidatos disputarão a prefeitura (citados aqui em ordem alfabética): César Gabardo (PMDB), Evandro Speranza (PDT), Guilherme Pasin (PP) e Roberto Lunelli (PT).  Na eleição proporcional serão 174 nomes para a disputa das 17 cadeiras do Legislativo. O município tem 87.227 eleitores aptos, sendo 42.061 homens, 45.166 mulheres e 805 com idade inferior a 18 anos.

Propaganda eleitoral gratuita

Nos canais de rádio haverá propaganda eleitoral gratuita entre os dias 26 de agosto e 29 de setembro. Além da alteração no período de veiculação – foi reduzido de 45 para 35 dias – também houve mudanças na duração e distribuição das mensagens. No caso de campanha para prefeito, os programas serão transmitidos de segunda a sábado, das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10. A propaganda eleitoral em bloco para vereador foi extinta. Tanto para prefeito como para vereador serão veiculadas inserções em tempos de 30 e 60 segundos, de segunda a domingo, ao longo da programação, entre 5h e meia-noite, totalizando 70 minutos diários. A divisão deverá obedecer à proporção de 60% para prefeito e 40% para vereador.

Limite de gastos

Outra mudança diz respeito aos limites de gastos de campanha e de contratação direta ou terceirizada de pessoal para prestação de serviços referentes a atividades de militância e mobilização de rua nas campanhas eleitorais. Os candidatos à prefeitura podem gastar até R$ 140.037,31 e contratar 357 pessoas; para quem disputa uma vaga no Legislativo, o limite de fixado para as despesas é de R$ 35.105,01, com possibilidade de contratar até 179 pessoas.

O teto máximo das despesas dos candidatos foi definido com base nos maiores gastos declarados na eleição anterior. De acordo com a norma, tanto para prefeito como para vereador, o limite será de 70% do maior gasto declarado em 2012. 

Conheça os candidatos a prefeito

César Gabardo (PMDB)

César Gabardo (à direita) tem 44 anos é advogado e empresário dos ramos da construção civil e imobiliário. No meio político, atuou como secretário de Governo no início da atual gestão (2013-2014) e desde 2013 preside o diretório local do PMDB. É a primeira vez que concorre a um cargo eletivo. O vice, também do PMDB, é o advogado Alcindo Gabrielli, que já foi vereador por dois mandatos (1993-1996; 1997-2000), vice-prefeito (2001-2004) e prefeito (2005-2008). O PMDB integrou a chapa da atual administração nas últimas eleições, mas rompeu a coligação em fevereiro alegando falta de diálogo e o não cumprimento de prioridades do plano de governo – mesmo motivo dado pelo vice, Mario Gabardo, pai de César, ao renunciar o cargo, em junho. Os peemdebistas contam com apoio de PSB, PSC, PSDC, PHS e PTN  na coligação “Um novo tempo para Bento”. Na eleição proporcional, os partidos também estão unidos e terão 34 candidatos a vereador (28 do PMDB, três do PSB e dois do PSC e um do PSDC).

Evandro Speranza (PDT)

PDT e PROS formam a coligação “Bento para todos”. O acerto ocorreu apenas no último domingo, dia 31, quando o PDT anunciava os nomes de Evandro Speranza (à esquerda) para a disputa à prefeitura, tendo como vice Manoel Aguiar Nobre, mais conhecido como Ceará. Speranza tem 41 anos e é empresário. Está no comando do PDT local há quatro mandatos – recentemente licenciou-se por conta da pré-candidatura. Em 2012, concorreu como vice-prefeito ao lado de Juarez Piva, em disputa também com chapa pura, ficando na terceira colocação com 5.563 votos. Manoel Aguiar Nobre, mais conhecido como Ceará, é empresário e assumiu o comando do PDT após Speranza licenciar-se da função. Embora esteja no partido há 20 anos, está é a primeira vez que concorre a um cargo eletivo. Na eleição proporcional, a expectativa é que a coligação tenha nominata completa (34 nomes) – sendo 26 do PDT e o restante do PROS, que faz o anúncio nesta sexta-feira, dia 5.

Guilherme Pasin (PP)

Guilherme Pasin (à direita) tem 33 anos e é bacharel em Direito e formado em Gestão Pública. Disputou sua primeira eleição em 2008, mas não elegeu-se vereador. Em 2012 teve uma vitória apertada nas urnas e tornou-se um dos prefeitos mais jovens do município. O vice, Aido José Bertuol (PSDB) já foi vereador (1977-1982) e prefeito de Bento Gonçalves por duas ocasiões (1986-1988 e 1993- 1996). É a chapa que mais tem apoios no município. A coligação “Digo sim para Bento” reúne nove partidos: PP, PSDB, PSD, DEM, PPS, PR, PRB, Rede Sustentabilidade e PTB.  Na eleição proporcional, as siglas concorrerão com em três frentes diferentes. O PTB irá sozinho na disputa, com 26 candidatos. A coligação “Unidos pelo sim para Bento” terá 34 nomes, sendo 26 do PP, três do PSD e cinco do PSDB. Os demais partidos integram a coligação “Juntos pelo sim para Bento”, com 14 candidatos do PPS, 10 do DEM, um do PR, um do Rede e sete do PRB.

Roberto Lunelli (PT)

Depois de ser derrotado por apenas 383 votos na última eleição municipal em 2012, e somar 10.643 votos quando concorreu à deputado estadual em 2014, o ex-prefeito Roberto Lunelli volta à disputa pela prefeitura. Ele tem 49 anos, é professor, já foi vereador (2001-2004) e comandou a cidade entre os anos de 2008 2012. O final de sua gestão foi marcado por uma grave crise financeira e suspeita de desvio de dinheiro público – que motivou inclusive a criação de uma CPI na Câmara de Vereadores. Recentemente seu nome apareceu na lista da gestores com contas irregulares  e a validação da candidatura caberá à Justiça Eleitoral. Lunelli terá como vice o também professor Paulo Wünsch (PCdoB), que já foi vereador por duas legislaturas (de 1993 a 2000). As duas siglas também contam com apoio do PTdoB e formam a coligação “Bento mais humana”. Na eleição proporcional, serão 16 candidatos do PT, três do PTdoB e três do PCdoB.

(Foto Urna: Elza Fiúza/ABr/Divulgação)

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.