Comércio se une para discutir segurança

Representantes do setor do comércio se uniram para debater ações e alternativas capazes de inibir a criminalidade e a onda de assaltos aos estabelecimentos de Bento Gonçalves. O encontro, promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BG), em parceria com o Sindilojas e a Brigada Militar, na noite da última terça-feira, dia 17, apontou o envolvimento coletivo como fator indispensável na busca de resultados. A adoção de medidas simples, como a criação de um grupo no aplicativo de troca de mensagens WhatsApp, para facilitar a comunicação e alterar sobre situações de risco, pode auxiliar no aprimoramento da informação repassada para que os órgãos de segurança possam realizar seu trabalho.

A finalidade do grupe é permitir que os lojistas compartilhem entre si avisos de comportamentos e indivíduos suspeitos, para que outros estabelecimentos se previnam, denunciem ocorrências ou golpes que estejam sendo praticados na praça e, também, solicitem atendimento da Brigada, quando necessário. O canal não substitui o atendimento telefônico emergencial pelo 190 e nem dispensa a formalização do registro do boletim de ocorrência, mas é uma ferramenta que confere mais agilidade no repasse de informações de utilidade coletiva. “O problema da segurança pública é de todos. Devemos, sim, cobrar dos órgãos competentes a melhor gestão administrativa e aplicação das verbas em favor da comunidade, mas não podemos nos omitir diante das ações colaborativas que são, também, de nossa responsabilidade. Quanto maior o envolvimento do comércio, mais seguros estarão os estabelecimentos”, comenta o presidente da CDL-BG, Marcos Carbone.

Um dos principais desafios que as entidades representativas enfrentam é o de mobilizar os comerciantes a participarem dos debates e atender as solicitações propostas – pouco mais de 30 empresários do setor acompanharam a reunião. A pauta do encontro também registou a importância de os lojistas revisarem seus estabelecimentos, de modo a protegê-los da incidência de roubos e furtos. A Brigada Militar oferece uma consultoria que ajuda a identificar pontos de vulnerabilidade e as alternativas para saná-las, o que dificulta a ação de delinquentes. Esse serviço está disponível mediante agendamento.

Também participaram do encontro o presidente do Sindilojas, Daniel Amadio, o comandante do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º Bpat), major Álvaro Martinelli, o subcomandante, capitão Reni Onírio Zdruikoski e o capitão Diego Caetano. 

(Foto: Divulgação/CDL-BG)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.