Congresso Estadual Aearv inicia com debates qualificados sobre urbanidade

O primeiro dia da programação do Congresso Estadual Aearv fez jus ao desafio proposto de debater os conceitos de urbanidades e discutir alternativas para criar espaços urbanos realmente alinhados às necessidades das pessoas. Mais de 300 espectadores acompanharam a agenda de atividades da quinta-feira (25), no anfiteatro da Fundação Casa das Artes, na cidade de Bento Gonçalves (RS).

Um dos destaques foi a apresentação do arquiteto Grégory Bousquet, da Triptyque Architecture. Também estiveram no palco do Congresso os conferencistas Antônio Macedo Filho e Bernardo Tutikian, além os escritórios Maena Design Conecta e Una Arquitetos. Quem participou do encontro pode conferir, também, novidades trazidas por algumas das mais expressivas marcas e fornecedores do segmento de arquitetura, decoração e construção civil, expostas na Rua Coberta, como atração paralela à rotina de palestras.

As atividades seguem na sexta-feira (26), com mais cinco apresentações, entre elas a do arquiteto Ricardo Montezuma, um dos responsáveis pela execução do plano de mobilidade urbana de Bogotá, na Colômbia. Outras atrações confirmadas são Erminia Maricato, Cícero Zanoni, André Melati, Tomáz Lotufo e Renato Saboya.

O II Congresso Estadual Aearv é co-realizado com o Crea-RS, e viabilizado pelas empresas Cristo Rei Materiais Elétricos, Universidade de Caxias do Sul, Altero, Artelana, Ascon, Byrne, Costaneira, Eko Ambientes, Espaço Decor, Gallina Visentini, Perlare, Pinusplac e Pró-Cor. São apoiadores CAU/RS, Fundação Casa das Artes, PROAMB, Salão Design e Unisinos.

Grégory Bousquet: sustentabilidade e mixidade na Arquitetura
Integração entre esferas sociais, recursos e inovação como forma de soluções para uma cidade mais acolhedora, moderna e funcional. Essa foi a essência da palestra que marcou o início das atividades do II Congresso Estadual Aearv, ministrada pelo arquiteto Grégory Bousquet. Sócio do Triptyque Architecture, escritório que tem como inspiração a energia do Brasil e a influência da França e está presente nos dois países, ele falou sobre “Novos Territórios” e como esse conceito urge na Arquitetura atual.

Para Bousquet, a praxe da arquitetura está mudando. Hoje, os projetos unem tecnologia, sustentabilidade e a mixidade do público com o privado. Essa nova postura abre possibilidades de uso e de inserção urbana, com outros caminhos para pensar melhor a cidade. “Estamos falando de novos territórios ao mesmo tempo de uma forma literal – novos espaços, novos lugares nas cidades – e também metafórica – usos, sustentabilidade”, explica.

E para mostrar que essa teoria já vem sendo aplicada, ele apresentou cases reais do Triptyque Architecture como Red Bull Station, Mediateca de Osny, RB12 e edifício Fidalga. Um dos destaques é o projeto Re-Inventar Paris, concurso promovido pela capital francesa para revitalizar estruturas subutilizadas de pontos abandonados na área central, no qual o escritório emplacou dois projetos, em parceria com outros arquitetos. Autoridades da Cidade Luz viram nessa competição uma forma de garantir o futuro da metrópole, que é uma das queridinhas do mundo. “Temos que repensar a cidade hoje para deixar ela mais sustentável em todos os sentidos da palavra”.

Outro case explorado durante a palestra foi o Projeto Harmonia, edifício comercial localizado na capital paulista pensado para funcionar como um organismo vivo que pulsa no ambiente de grande fluxo artístico que o cerca. Das paredes brotam vegetais que funcionam como pele e transmitem fôlego de vida. A estrutura bruta, composta por dois blocos, comporta um pequeno ecossistema à base do reaproveitamento da água da chuva e alternância de espaços que favorecem a iluminação natural, entre outras particularidades. “Temos que pensar a mixidade social, a mixidade programática, a sustentabilidade dos materiais, a inventar a arquitetura que pode receber esses desafios em termo de fluxos, de programação de materiais, de reversalidade no uso futuro”, observa.

SERVIÇO
O que: 2º Congresso Estadual Aearv – Urbanidades: cidade para as pessoas
Quando: 25 e 26 de agosto
Local: Fundação Casa das Artes – Bento Gonçalves

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.