Construção de BeWine Resort, Museu do Vinho e Gramado Park não são aprovados pelo Conselho do Vale dos Vinhedos

Impacto social no roteiro turístico teria sido o motivo da negativa de construção dos empreendimentos. Projetos já haviam sido aprovados pelo Ipurb de Bento Gonçalves. Negativa de construção motivou pedido de informações da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento e Bem-estar da Câmara de Vereadores e convocação do presidente do conselho para dar explicações na Casa Legislativa

A construção do grandioso BeWine Resort e do maior museu de vinho do mundo, além do Gramado Park, projeto encabeçado pelo Grupo Salton, que estão previstos para serem erguidos no Vale dos Vinhedos, não foram aprovados pelo Conselho Distrital de Planejamento do distrito. A decisão foi tomada durante reunião do conselho na manhã de segunda-feira, 21/03. O impacto social que os empreendimentos podem causar no Vale dos Vinhedos teria sido o motivo da rejeição.

Os projetos já haviam sido aprovados pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ipurb). O BeWine, por exemplo, teve liberação ainda em novembro e, no mês seguinte, foi lançado oficialmente em um grande evento, que teve, inclusive, a presença de autoridades municipais. Os projetos, no entanto, precisam da aprovação também do conselho distrital, que é composto por três representantes do Poder Público Municipal (Subprefeito, IPURB e Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Agricultura), um representante técnico (engenheiro civil, arquiteto e/ou engenheiro agrônomo) e até seis representantes de associações locais do distrito. Na votação, apenas o Ipurb e entidades sociais votaram a favor da liberação.

Por conta da reprovação, a Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento e Bem-estar da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, que tem como presidente o vereador Anderson Zanella, solicitou ao Ipurb o conteúdo da reunião, com íntegra de áudios, fotos, vídeos e lista de presenças da reunião de segunda-feira, e ainda aprovou a convocação do presidente do conselho e subprefeito do Vale dos Vinhedos, Marciano Batistelo, para dar explicações na reunião das comissões na Casa Legislativa na próxima terça-feira, 29/03.

Na reunião, Zanella levantou desconfianças quanto às motivações da reprovação. “Há muitas dúvidas que pairam no ar quanto essa reprovação. Nos últimos três meses alguns empreendimentos iguais a estes foram aprovados pelo Conselho? Pergunta dois: algum empreendedor da rede hoteleira votou na liberação de ontem, ou seja, não teve interesses particulares envolvidos? Terceira pergunta: a lei do Plano Diretor diz que os conselhos distritais votam sobre os impactos de infraestrutura. Foi essa a análise executada?”, questionou Zanella e, em seguida, colocou em votação os requerimentos de pedidos de informações e convocação. As indagações são por conta, especialmente, da aprovação do conselho para a construção do resort Castelos do Vale e a participação de empreendedores da empresa na reprovação dos outros projetos.

O SERRANOSSA tentou contato com o presidente do conselho, Marciano Batistelo, que recusou as ligações telefônicas do jornal. Também entrou em contato com o presidente da Aprovale, Sandro Valduga, que faz parte do conselho, mas até o momento não obteve retorno. A assessoria da prefeitura afirmou que “as empresas responsáveis precisam realizar as alterações solicitadas pelo Conselho e reapresentar o projeto” e que demais informações deveriam ser obtidas com o próprio conselho.

O QUE DIZ A BEWINE

O executivo Rafael Zardo, que representa do BeWine em Bento Gonçalves, afirmou que teve uma reunião com o prefeito Diogo Siqueira e que ficou decidido que após terem acesso a ata da reunião, irão buscar soluções para o caso. No entanto, Zardo pontuou que o empreendimento está “101% dentro das normas” e que o conselho pode pedir as medidas mitigatórias, como mudanças no trânsito, entre outros. “Foram solicitadas diferentes alterações nos projetos e fizemos, inclusive incluindo mudanças no impacto social, como melhorias no trânsito. Somente após isso nosso projeto foi aprovado pelo Ipurb e, por este motivo, fizemos um lançamento oficial. Queremos entender o que está faltando”, questiona Zardo. “O que entendemos é que nosso projeto foi avaliado junto com outro hotel do mesmo segmento e que, juntos, somam mais de 1000 leitos no Vale dos Vinhedos. Mas nosso projeto tem que ser avaliado individualmente e não com outro hotel, que inclusive foi aprovado pelo Ipurb depois que o nosso”, observou.

Zardo reiterou a importância da BeWine Resort e do Museu do Vinho. “Queremos fomentar a cultura do vinho brasileiro. O Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves e o país só têm a ganhar com este empreendimento e estamos fazendo tudo dentro das normas, dentro da lei e dentro do permitido”, destaca.

2 Comentários
  1. gilberto Diz

    Meus parabéns a estas pessoas que não aprovaram o empreendimento!…estou com vocês!!

  2. Consuelo Baccega Diz

    Acho que os únicos que “só tem a ganhar” com o “empreendimento” são os idealizadores deste elefante nada branco que estão querendo enfiar no Vale dos Vinhedos. E o Ipurb não tem competência técnica nenhuma, depois que “enfiou” o maior moinho da América Latina no meio da cidade, sem a mínima infraestrutura para isto. Tem muita coisa para ser esclarecida neste âmbito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.