Dentinho anuncia que irá doar os 13,60% aprovados pelos vereadores

Reprodução Instagram.

Na última sessão Legislativa do ano, realizada no dia 23/12, o vereador Rafael Fantin (PSD), o Dentinho, manteve seu posicionamento contrário à revisão geral de vencimentos e subsídios que garantiu um aumento de 13,60% ao prefeito, vice-prefeito, secretários, vereadores,  e servidores do Executivo e do Legislativo.  O Projeto de Lei nº 137 foi protocolado pelo Executivo e teve também como voto contrário o vereador Agostinho Petroli (MDB). Após o posicionamento, Dentinho chegou a receber a provocação de seus colegas, que sugeriram que ele devolvesse o valor da revisão caso o projeto fosse aprovado.  

Ainda na sessão, o vereador mencionou que seria essa a sua decisão, destacando que não se tratava de uma resposta à provocação recebida. “Não é por conta de pressão de colegas que farei essa doação. Já falei isso anteriormente, falei isso no ano passado quando teve aquele pequeno reajuste indevido pago em dois meses e eu fiz a doação desse excedente e farei daqui por diante também e não é populismo”, afirmou.

Segundo o vereador, o voto contrário ao projeto foi dado por entender que o reajuste aos agentes políticos não deveria ocorrer. O vereador afirmou que é favorável ao reajuste do salário dos servidores do Executivo e do Legislativo, mas votou contra porque a prefeitura uniu todos os reajustes em um só projeto. Dentinho também destacou que tentou diversos mecanismos para barrar o projeto. Primeiro, o vereador solicitou um pedido de vistas, com a intenção de remeter ao Executivo um anteprojeto com a previsão apenas do reajuste ao funcionalismo, mas o pedido foi rejeitado por maioria de votos. Depois, ele tentou utilizar de uma interpretação usada anteriormente pelo presidente da Casa, Rafael Pasqualotto, para permitir que o veto parcial do prefeito ao projeto que regulamenta o transporte coletivo fosse desmembrado na votação, mas, dessa vez, o pedido não foi acolhido por Pasqualotto.

Ao ver derrotadas todas as iniciativas para barrar o reajuste dos agentes políticos, não restou ao vereador outra hipótese senão votar contra o projeto. “Penso que este não é o momento para reajustarmos o salário dos agentes políticos enquanto o país ainda passa por uma crise econômica”, avalia Dentinho, que também ressaltou o fato de não ter sido consultado para a definição desse reajuste. Ele destacou, porém, que apoia o reajuste aos servidores. “Meu entendimento é que os funcionários, que em sua maioria recebem salários mais baixos, necessitam da reposição inflacionária, o que não ocorre desde abril de 2020”, revelou.

Quanto à doação do valor relativo ao percentual aprovado como reajuste, Dentinho afirmou que vai fazer como já fez no início deste ano, quando fez a doação de um percentual de 3,14% relativos ao reajuste aprovado em dezembro de 2020 e retirado depois pela Justiça. “Sou contra esse reajuste, e farei como já fiz no início de meu mandato: esse recurso será repassado mensalmente a uma entidade assistencial do município”, garantiu o vereador, que disse que, ao longo do mês de janeiro, será definido um modelo que ofereça transparência e participação popular na definição da entidade que receberá os recursos a cada mês.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.