Dezembro Vermelho: o combate contra a AIDS segue em campanha global

Neste 1º de dezembro é celebrado o Dia Mundial de Combate à AIDS

Foto: Freepik

Nesta sexta-feira, 1º de dezembro, é comemorado o Dia Mundial de Combate à AIDS e o objetivo principal da campanha é alertar a população sobre os riscos da doença e como se prevenir. Para se ter uma ideia, em 2022, de acordo com Boletim Epidemiológico da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente (SVSA), o Rio Grande do Sul registrou 1.245 novos casos de HIV, sendo o maior número da Região Sul do Brasil (2.690 no total).

O que é a AIDS? 

A AIDS é uma doença causada pelo vírus HIV, geralmente transmitida por contato sexual desprotegido com pessoa contaminada, mas pode ser também passada por transfusão sanguínea e compartilhamento de objetos perfurocortantes. Diferentemente do que muitos pensam, viver com HIV não é o mesmo que ter AIDS. A AIDS é o estágio mais avançado da doença, quando o sistema imunológico encontra-se bem debilitado.


Ela é uma doença que não mata por si só. Por causar um grande impacto no sistema imunológico, o paciente fica sujeito a doenças oportunistas, como a pneumonia, que surgem no organismo nesse momento de fraqueza. Assim sendo, não se morre de AIDS, morre-se das complicações geradas pelas doenças oportunistas.

Principais sintomas: febre, aparecimento de gânglios, crescimento do baço e do fígado, alterações elétricas do coração e/ou inflamação das meninges nos casos graves; na fase aguda, os sintomas duram de três a oito semanas. Na crônica, os sintomas estão relacionados a distúrbios no coração e/ ou no esôfago e no intestino; cerca de 70% dos portadores permanece entre 10 e 15 anos na chamada forma assintomática ou indeterminada da doença

Como se prevenir

Para evitar a transmissão da AIDS, recomenda-se o uso de preservativo durante as relações sexuais, a utilização de seringas e agulhas descartáveis e o uso de luvas para manipular feridas e líquidos corporais, bem como testar previamente sangue e hemoderivados para transfusão. Além disso, as mães infectadas pelo vírus HIV devem usar antirretrovirais durante a gestação para prevenir a transmissão vertical e evitar amamentar seus filhos.

Em Bento Gonçalves, todas as unidades de saúde realizam os testes rápidos, tanto para HIV quanto para sífilis ou Hepatites B e C. No município, o SAE/CTA é a principal referência para o acompanhamento de doenças infecciosas. Ele está localizado na rua Goiânia, 590, bairro Botafogo. O telefone para contato é (54) 3055-7307.