“Doar sangue pra mim é um evento”, diz doadora que busca incentivar o ato

Segundo a secretaria estadual de Saúde (SES), os Hemocentros do Rio Grande do Sul enfrentam um esvaziamento dos estoques

Doar sangue é um ato que pode mudar vidas, seja de quem recebe e pode ser salvo, seja de quem doa. Desde 2021, a estudante Mírian Camargo tem feito doações constantes. Por meio do incentivo de um amigo, ela foi até o Banco de Sangue de Caxias do Sul e fez a doação. Envolta em nervosismo, Mírian descobriu ali, na primeira experiência, que algo especial estava acontecendo. Inclusive, na semana em que esta matéria está sendo publicada, a jovem foi realizar a sua quinta doação.

Divulgação SMS

A ação de Mírian vai ao encontro de uma dificuldade que cerca o Rio Grande do Sul. A secretaria estadual de Saúde (SES) divulgou na semana passada que os tipos sanguíneos O- e O+ estão em níveis baixos nos estoques dos hemocentros do Estado. De acordo com o Hemocentro de Caxias do Sul, que é referência para Bento Gonçalves, os tipos A-, AB-, B+ e O- também se encontram em estado crítico ou em alerta.

Sangue bom

Desde o segundo semestre de 2021, Bento Gonçalves tem feito mutirões de doação de sangue na UBS Zona Sul. Na quarta edição, realizada no início de julho, 77 bolsas de sangue foram coletadas. Segundo a secretária de Saúde de Bento, Tatiane Misturini Fiorio, as iniciativas têm deixado um legado. “Temos notado uma participação efetiva da população. Nas quatro edições atingimos o objetivo de ter a capacidade máxima de coletas que podem ser realizadas em único dia. Ação de extrema importância para as pessoas que estão precisando destes componentes, e que pode salvar uma vida”, afirma. O planejamento inicial é que novas edições aconteçam a cada 90 dias, mas tudo depende da agenda do Hemocentro de Caxias do Sul e do Hospital Tacchini, que são parceiros da ação.

Mesmo com a promoção de iniciativas como essa ou com a possibilidade de salvar vidas, algumas pessoas ainda têm receio de doar. Na visão da estudante, a desinformação é um dos principais motivos que afasta os possíveis doadores. “Se mistifica a doação como algo tão invasivo. Eu, antes de doar, pensava que se doavam litros, que demorava horas, que ficaria me sentindo mal, que iria desmaiar ou seria uma agulha enorme. E quando cheguei, foi totalmente o oposto. Uma equipe legal, 500ml apenas, com uma agulha normal e foi super-rápido”, relata.

Outro motivo que pode afastar os doadores é que o local mais próximo para fazer a doação – quando não há mutirões – é em Caxias do Sul, e nem todas as pessoas estão dispostas a se deslocarem até a cidade. Segundo a secretária da Saúde, Bento ainda não pode ter um espaço próprio. “Para ser um braço dessa rede é preciso ter uma quantidade populacional determinada, além de ter uma equipe exclusiva para essa coleta. Quanto ao banco de coletas, o município já teve uma experiência anterior, onde o banco ficava junto ao Hospital Tacchini. [Acabou] não sendo viável, pois havia uma baixa procura para doações”, pontua.

Ato do bem

A secretária reforça a importância de se doar e a necessidade de participação da comunidade. “Meu pedido às pessoas que podem ser doadoras é que façam isso. Que experimentem essa sensação de gratidão por poder salvar vidas”. Para Mírian, a sensação de doar sangue é algo incrível e que gera uma felicidade enorme. “Conto para todo mundo que encontro nos dias seguintes. Ah! E quando falam sobre doação, eu digo com o maior orgulho que sou doadora de sangue”, diz. Com bom humor, a jovem lembra outros benefícios que vêm junto com a doação. “O que sempre falo: ‘Tem lanchinho ainda’.”

Requisitos para ser doador

• Estar em boas condições de saúde;
• Apresentar documento oficial de identidade com foto;
• Ter idade entre 16 e 69 anos, sendo que os candidatos a doadores com menos de 18 anos deverão estar acompanhados pelos pais ou por responsável legal;
• Pesar no mínimo 50 Kg com desconto de vestimentas;
• O limite de idade para a primeira doação é de 60 anos;
• Não estar em jejum e evitar alimentação gordurosa;
• Ter dormido pelo menos 6 horas antes da doação;
• Não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação;
• Não fumar pelo menos duas horas antes da doação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.