“É o que temos de real, mas não é suficiente”

A reserva de 30 apartamentos no residencial Don Inácio é, por enquanto, a proposta mais concreta e real apresentada pela prefeitura de Bento Gonçalves para solucionar o impasse do auxílio-aluguel para os policiais no município. O projeto segue os moldes do Programa Minha Casa, Minha Vida. “É o que temos de real, mas ainda não é o suficiente”, aponta do presidente da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar de Bento Gonçalves, Leonildes Lavinicki.

De acordo com Lavinicki, os apartamentos de 46 metros quadrados não são suficientes para famílias com mais de dois filhos. “Para policiais solteiros ou sem filhos, é um tamanho razoável, mas para quem tem família maior é um espaço reduzido”, pondera. O residencial Don Inácio conta com 300 apartamentos e deve ter sua construção iniciada em breve, no bairro Aparecida. A previsão é de 18 meses para finalização da obra, que é uma alternativa de moradia para as famílias que não se enquadram na modalidade de um a três salários mínimos, critério exigido para o empreendimento Novo Futuro, no bairro Ouro Verde, em fase de conclusão.

Outras propostas

Além da proposta do residencial Don Inácio, outras duas foram apresentadas para os policiais. Uma delas é a utilização de uma área de 1,2 mil metros quadrados no bairro Ouro Verde, próximo ao local onde está sendo finalizada a construção do Novo Futuro. A intenção seria utilizar o terreno a Cooperativa Habitacional dos Policiais Civis de Bento Gonçalves. A segunda alternativa é a aquisição por parte do município de uma área do Estado no bairro Salgado. De acordo com Dall’Agnol, todas estas propostas levarão mais de dois anos até que sejam finalizados os trâmites burocráticos e as construções possam ser iniciadas.

Leia matéria completa na edição desta sexta.

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.