Em parceria com a iniciativa privada, prefeitura promove curso de corte e costura em Bento

A Secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social de Bento Gonçalves (SEDES), em parceria com a empresa Léia Confecções, promove o curso de corte e costura para cinco pessoas cadastradas no CRAS II, localizado no bairro Juventude. A seleção foi realizada pelo Programa ACESSUAS Trabalho para um projeto-piloto a ser implementado pela secretaria.

O curso é de aproximadamente seis meses, dividido em três módulos: I – Noções Básicas de Corte e Costura, II – Corte e III – Costura, contemplando todas as etapas do processo produtivo de uma confecção. A turma aprenderá desde o recebimento do pedido na empresa, da preparação do produto até a entrega ao cliente. Para a aluna Priscila de Gasperi, o curso veio em boa hora. Futuramente, ela quer produzir roupas pet. “Nunca costurei e, quando eu soube, casou com a minha intenção de trabalhar com essa área. Com certeza, vai possibilitar uma renda a mais no meu orçamento”, comemora.

Anderléia Nicolini, proprietária da empresa parceira, expressa seu sentimento de ensinar sobre seu ofício. “Para mim está sendo ótimo, porque estou conseguindo passar às alunas todo o conhecimento que tenho, orientando e ajudando as pessoas a ter um crescimento, uma evolução e a buscar uma vaga de trabalho, ou ainda, fazer por conta própria”, destaca.

De acordo com a coordenadora do ACESSUAS Trabalho, Vera Piccoli, o projeto-piloto possibilita qualificação para o mercado de trabalho. “Existe uma demanda expressiva de pessoas atendidas que buscam oportunidades, no entanto a maioria possui pouca ou nenhuma qualificação profissional, e as empresas procuram pessoas capacitadas. Por isso, o curso de corte e costura é uma forma de ofertar a qualificação, além de gerar a empregabilidade”, afirma.

O secretário Eduardo Virissimo ressalta as potencialidades de gerar oportunidades em parcerias entre os setores público e privado. “A gente vem buscando há tempo uma maneira de ajudar as pessoas que estão em vulnerabilidade e, muitas vezes, não têm a oportunidade de se qualificar, dificultando a sua permanência no mercado de trabalho. Fizemos uma sondagem nos nossos CRAS e buscamos essas pessoas para este projeto-piloto. A formalização da parceria entre o setor privado e público nos enobrece, uma vez que, juntos, desenvolvemos a promoção e a inserção do cidadão no mundo do trabalho, promovendo a dignidade dos envolvidos”, ressalta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.