Empregos: sobram vagas, falta qualificação

Diferente de muitas regiões do Brasil, Bento Gonçalves tem saldo positivo em relação a vagas de emprego. A dificuldade, porém, é encontrar profissionais para preenchê-las. É isso que aponta pesquisa do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged). Atualmente, o saldo de empregos na cidade ultrapassa 2.300 vagas e o maior volume é para quem tem Ensino Médio completo (1.117) e que atue na indústria (1.125), em áreas mais operacionais. O volume de Ensino Superior, mais associado a vagas mais qualificadas, também é importante: o saldo é de 136 vagas.

De acordo com o pesquisador e professor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Fabiano Larentis, o atual cenário tem relação com a retomada da economia. “A demanda por pessoas mais preparadas em função de um mundo cada vez mais complexo, principalmente pós-pandemia, o aumento da demanda de empregos mais tecnológicos, como na área de TI, cuja oferta de formação não dá conta, além dos problemas na educação – temos os casos dos ‘nem-nem’, que nem estudam nem trabalham, pensando no Ensino Médio – são relevantes nesta dificuldade de preencher as vagas”, comenta. Ele ainda lembra que o total de empregos formais em Bento já é superior aos níveis anteriores à pandemia. 

QUALIFICAÇÃO É IMPORTANTE
A professora Ilciane Sganzerla Breitenbach, coordenadora do curso de Psicologia da UCS Bento, aponta que 60% das organizações querem contratar novos profissionais mesmo na crise, mas que 53% delas tentam e não conseguem por não encontrar mão de obra qualificada. “Essa mão de obra que falta resume-se a profissionais qualificados para trabalhar na função designada. Ou seja, pessoas competentes e aptas para executar aquilo que for delimitado a elas na sua rotina de trabalho. Sendo assim, a capacitação pode ser uma ótima saída”, explica. No entanto, segundo ela, muitos procuram capacitar, mas acabam não escolhendo as melhores instituições. “Uma vez tomada a acertada decisão de incorporar conhecimento e tornar-se excelente nas áreas de atuação, a decisão precisa manter-se coerente com escolhas de instituições sérias, de ótimo conceito, além de serem reconhecidas. Cansamos de ver currículos, nos quais, dependendo do local onde o candidato fez a formação, ele acaba não tendo a oportunidade desejada. O fato é que, mais do que passar por uma graduação ou formação, o importante é poder transformar as informações em conhecimento, pois se, em um passado não muito distante, ‘mandava quem podia e obedecia quem tinha juízo’, hoje, manda ou tem oportunidade quem tem o conhecimento, obedece quem respeita o conhecimento do outro”, pontua. 

O diretor-executivo da Robopac Brasil, Judenor Marchioro, aponta que as áreas de maior demanda de profissionais para atuar na empresa são em áreas técnicas que exigem qualificação específica, como formações em áreas de Engenharia (Mecânica, Elétrica, Automação e Controle, Produção) e de cursos técnicos (Mecânica, Mecatrônica, Usinagem). “A área de tecnologia tem exigido cada vez mais profissionais qualificados e preparados para resolver problemas dos mais variados segmentos. O crescente aumento de tecnologia em todas as áreas, as mudanças de formato de contratação (híbrido, home office, etc) e o baixo acesso dos jovens à educação de qualidade e à formação superior, têm se mostrado como um grande desafio para todos. Cada vez mais as empresas buscarão maneiras de formar internamente essa mão de obra, pois o mercado não sinaliza mudanças significativas para atender essa demanda”, pontua.

O empresário afirma que a falta de profissionais qualificados ainda não impediu a realização de novos investimentos e ampliação da empresa, mas é uma preocupação para o futuro. “Nos próximos anos, precisaremos intensificar essa formação de mão de obra para que não comprometa os objetivos organizacionais”, complementa.

A coordenadora de uma agência de empregos em Bento, Julia Basso, alerta sobre a instabilidade e falta de qualificação por parte dos candidatos. “A maioria dos candidatos que permanecem mais tempo no nosso banco são os mais desqualificados. Os perfis com um pouco mais de estabilidade e experiência não chegam a ficar uma semana desempregados. Tem muita oferta de emprego”, garante.

 

MUTIRÃO DO EMPREGO

Com objetivo de oferecer oportunidades de acesso ao mundo do trabalho, o Gabinete da Primeira-dama e as Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Esportes e Desenvolvimento Social (Sedes) realizam neste sábado, 02/10, das 9h às 12h, na Via Del Vino, o Mutirão Trabalho para Todos. A atividade contará com cerca de 30 empresas e entidades participantes, que estarão presentes na Via Del Vino com vagas e oportunidades de trabalho, cursos e outras ações. “Estamos muito felizes com a adesão das empresas no projeto, teremos vagas em diferentes setores e oportunidades para todos”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico, Milena Bassani.  

A equipe do Acessuas Trabalho, da Secretaria de Esportes e Desenvolvimento Social (Sedes), fará a confecção de currículos, para isso é necessário levar RG, CPF e carteira de Trabalho.  “Há uma grande demanda de pessoas que necessitam de oportunidades, e o que vamos fazer é deixá-los mais próximos do mundo do trabalho oferecendo ferramentas como o currículo”, destaca o secretário Eduardo Virissimo. 
As empresas Sicoob, Senac e Sebrae estarão oferecendo cursos gratuitos de especialização. A primeira-dama, Cláudia Remus, destaca que para participar do Mutirão a “população só precisa comparecer na Via Del Vino e analisar as oportunidades, esperamos que muitas realidades sejam transformadas e o sábado seja um dia de felicidade com a concretização do emprego”, salienta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.