EU AVISEI!

No dia em que a D. Jovita, minha avózinha, completa 92 anos de idade; 92 anos de pura doçura; 92 anos de puro amor; meu texto não poderia ter outro tema que um típico aviso de vó; ou, talvez, um típico aviso de mãe. Afinal, é o caminho natural das coisas: de bebe à menina; de menina à moça; de moça à mulher; de mulher à mãe; de mãe à vó.

Já preparado para o mimimi que pode surgir por conta das mães adolescentes, já me defendo: “toda mulher tem uma mãe dentro de si, naturalmente. Não importa com que idade nasce seu filho, essa mãe que existe dentro da mulher aparece, sendo o ser mais doce e feroz ao mesmo tempo. Mesmo diante do mais carinhoso e delicado afago, não ousem mexer com a sua prole! Haverá de nascer, daí, a proteção de uma leoa.     

Pois bem, voltando: desde sempre, quando eu me machucava mexendo em alguma coisa; caía fazendo traquinagem – e foram muitos tombos e muitas traquinagens –; minha avó, depois de me consolar, me dizia: “EU AVISEI! EU DISSE PARA NÃO IR LÁ! Eu disse para tu não fazer aquilo! Tu acha que a gente não quer que tu faça as coisas? A gente só não quer que tu se machuque…”. 
Minha mãe, da mesma forma, dizia: “Quando eu digo que não é para fazer, não é para fazer! Tu fez! Agora aguenta…”.

Quando pequeno, sempre pensei que eles não entendiam o que era ser criança, que fazia muito tempo que eles tinham sido crianças e que, por isso, não lembravam mais como era legal fazer certas coisas, mesmo que fossem perigosas. Não! Três vezes não! Tratava-se, em verdade, do mais puro significado de cuidado! Eu entendi isso. Já entendia, empiricamente, à época, mas hoje entendo ser a maior prova de amor que elas poderiam me dar!

Hoje as pessoas não entendem as coisas como cuidado! Que lástima! Percebe-se que, hoje, quando se recomenda para alguém não fazer algo, salvo exceções, a leitura que parece que se passa é: “Ele não quer que eu voe. É só ciúmes do meu sucesso! Ele vai ver! Vou mostrar que eu sou capaz! Vou mostrar que eu estava certo…”

A verdade é que: “QUEM AVISA, AMIGO É!”. Então, quando alguém, um amigo, um profissional contratado, tenta te avisar alguma coisa, leve isso em consideração, pelo menos um pouquinho. Afinal, preocupante é quando não lhe dizem nada, nadinha, no sentido de cuidado. Por certo essa pessoa não mais está te levando a sério… 

Até a próxima!

 

Apoio:


 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.