Evite manchas e alergias após a depilação

A depilação agride a pele em qualquer época do ano. Porém, no verão, os riscos são ainda maiores – e não é só por causa do intervalo menor entre uma retirada de pelos e outra. O sol e o contato com a areia da praia e com o cloro da piscina, por exemplo, aumentam a sensibilidade e agravam o risco de alergias e de queimaduras. 

Tomar cuidados especiais é o único jeito de se livrar dos pelos sem passar dias com a pele ardendo ou coçando. E não adianta achar que há um método mais seguro ou eficiente do que outro. “Todos os tipos de depilação prejudicam a pele de alguma maneira, é preciso saber lidar com isso”, afirma a dermatologista Gabriela Casabona. Acompanhe, a seguir, algumas orientações para evitar desconfortos. 

Depilar pede hidratação
Sempre que é feita a depilação, os queronócitos (elementos que dão sustentação à pele) são removidos, assim como a camada superficial de oleosidade que protege a pele. “Essa película protetora é recuperada mais rapidamente com a ajuda da hidratação”, afirma a cosmetóloga Roseli Siqueira. Ela recomenda ficar dois dias sem tomar sol após a depilação, seja com cera, lâmina ou outro método. O cuidado evita manchas e garante que a vermelhidão não se transforme em alergia.

Cuidado com produtos
Se, após a depilação, você passar um produto à base de álcool ou ácidos, a pele vai manchar. Segundo Roseli, até o excesso de sabo nete em locais sensíveis após a depilação, como a virilha, pode escurecer essas regiões. A profissional recomenda que a hidratação, após a depilação, seja feita com óleos e cremes à base de macadâmia e aloe vera.  

Protetor solar
O filtro solar não irrita a pele, mas também não tem poder hidratante suficiente para recuperar o que foi perdido na depilação. No caso do uso de laser, cuidado com as casquinhas que podem se formar após o procedimento – se expostas ao sol, elas também geram manchas. O ideal é passar o hidratante e, após a absorção, usar um filtro solar, no mínimo, com fator 30, pois o produto é um aliado na prevenção de marcas escuras. 

Puxe com cuidado
Ao fazer qualquer tipo de depilação, remova os pelos no sentido do nascimento dos fios. Isso serve para ceras, maquininhas de depilar e até para a pinça. Dessa maneira, eles saem mais facilmente e não ocorrem lesões ou sangramentos. Evite também cutucar a pele para retirar o pelo e passar a cera mais de uma vez, situações que podem gerar manchas. Roseli orienta espaçar as depilações. “Uma vez por mês é o ideal, porque a pele tem condições de se recuperar, diminuindo os riscos de manchas e inflamações”, explica.

Atenção à lâmina
Se você raspa os pelos, lembre-se de descartar as lâminas após o uso, para evitar a infecção por bactérias. Uma loção à base de antibiótico e anti-inflamatório, recomendada pela dermatologista, ajuda a prevenir inflamações. E não se esqueça da hidratação. 

Pelos encravados
Algumas lâminas causam microtraumas e alergias, que levam ao encravamento. Atente para a dica da dermatologista Gabriela Casabona: se você tem alergia às bijuterias, é bem provável que também seja alérgica ao metal das lâminas. Para diminuir esse incômodo, esfoliações duas vezes por semana, após a depilação, além de loções com anti-inflamatório e antibiótico, são indicadas. Quem sofre com pelos encravados deve experimentar a cera quente: o calor abre os poros e favorece a remoção completa dos pelos, que não se quebram.

Fonte: Portal Minha Vida

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.