Exportação de móveis cresce quase 70% no polo de Bento

Análise feita pela inteligência comercial do Sindmóveis compara desempenho de janeiro a setembro de 2021 ante 2020

As exportações de móveis seguem em alta no acumulado do ano até o mês de setembro – especialmente no polo moveleiro de Bento Gonçalves, na Serra gaúcha. Conforme análise feita pela inteligência comercial do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), as empresas da região exportaram US$ 53,1 milhões nos nove primeiros meses de 2021. Esse desempenho corresponde a um crescimento de 69% ante 2020 e de 57% em relação a 2019, considerando o mesmo período de análise.

Por causa da pandemia, o primeiro semestre de 2020 foi de significativa baixa no desempenho do mercado interno brasileiro. Já no segundo semestre do mesmo ano, iniciou uma expressiva recuperação em comparação aos primeiros seis meses. De acordo com o diretor Internacional do Sindmóveis, Cleberton Ferri, o desempenho poderia ser ainda melhor tanto no mercado interno quanto no externo, mas as questões econômicas dificultam a expansão do setor. “O aumento do custo de produção associado a um cenário de incertezas econômicas relativas à recuperação do PIB, geração de empregos e recuperação do consumo tendem a inibir a produção. Isso impacta diretamente nas projeções de vendas de um modo geral”, explica.

foto: Carlos Ferrari

PRINCIPAIS DESTINOS

Os Estados Unidos seguem como principal comprador dos mobiliários fabricados no polo de Bento Gonçalves, seguido de Chile, Uruguai, Peru, Reino Unido, Colômbia, México, Panamá, Paraguai e Arábia Saudita.

DE OLHO NO FUTURO

Mesmo com os entraves econômicos, a expectativa é fechar 2021 com bom crescimento. “Oscilações de faturamento de um mês para o outro são comuns. Em momentos distintos de 2021, tivemos duas quedas de um mês para o outro, mas isso não indica tendência, ou seja, foram episódios isolados”, salienta Ferri.

Um dos fatores que tende a fortalecer as exportações da cadeia moveleira nacional no primeiro semestre do próximo ano é a realização conjunta das feiras Movelsul e Fimma, de 14 a 17 de março, com mais de 500 marcas do setor. A primeira, realizada pelo Sindmóveis, é focada em mobiliário, design e decoração. Já a segunda, realizada pela Movergs, reunirá expositores de máquinas, insumos, serviços e acessórios. Ambas terão a presença de compradores nacionais e internacionais, proporcionando infinitas possibilidades para a cadeia de madeira e móveis.

fotos: Jeferson Soldi
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.