Formação científica desenvolve métodos que ensinam o profissional a resolver problemas

Mestrado em Engenharia de Produção, oferecido na UCS Bento, capacita profissionais para atender a situações especificas do mercado

Os setores produtivos e de serviços, além do comércio, convivem com adversidades diárias complexas, cada vez mais desafiantes para suas rotinas a fim de se manterem relevantes e competitivos no mercado. Nesse contexto, profissionais gabaritados que ofereçam respostas eficientes a processos, garantindo economia e rentabilidade, são cada vez mais requisitados. O caminho para se tornar esse profissional passa pela UCS Bento, por meio do Mestrado em Engenharia de Produção, cujas inscrições para o processo seletivo encontram-se abertas. “Desenvolvemos alunos para que eles tenham o conhecimento do processo, do método de como resolver problemas, pensar e executar soluções”, destaca um dos professores do mestrado, o professor doutor Odacir Graciolli.
Comumente associada ao setor industrial, a engenharia de produção tem sua aplicabilidade também em diversos outros campos por conta de seu caráter multidisciplinar. Qualquer área em que haja um sistema de produção – a relação pessoas, máquinas/equipamentos e trabalho – pode se beneficiar dessa matéria, o que inclui de hospitais a transportadoras, passando por instituições financeiras e serviço público, entre tantos outros exemplos. De caráter profissional – ou seja, mais direcionado ao mercado de trabalho –, o curso pode ser realizado sob a ótica de duas linhas de pesquisa: Modelagem e Análise de Sistemas de Qualidade e Produção, focado na solução de problemas por meio de métodos quantitativos; e Estratégias de Sistemas de Qualidade e Produção, relacionado a decisões por métodos de gestão de qualidade e produção.
Com isso, abre-se um grande campo de aplicabilidade do conhecimento pelo aluno. Estrategicamente, ajuda no planejamento das empresas, no desenvolvimento de novos mix de produtos, na inovação e na questão financeira, observando custos de processos e de produto. Também opera nos indicadores de produtividade e qualidade, na logística, na psicologia organizacional e do trabalho e na análise de dados, big data e inteligência artificial, entre outras. São informações que ajudam a identificar gargalos, trazendo mais resultados para os negócios. E tudo alinhado aos conceitos modernos de indústria 4.0, sociedade 5.0 e cidades inteligentes. “O mestrado dá uma formação científica para resolver problemas práticos”, diz Graciolli.
Por conta de sua abrangência, o mestrado em Engenharia de Produção recebe desde graduados de Administração e Pedagogia a diplomados de Enfermagem e Contabilidade, sendo, assim, destinado a profissionais com curso Superior em qualquer área, cuja função tenha relação a sistemas de produção. Com o mestrado, o aluno também abre novas possibilidades em sua carreira, como ascensão na própria empresa ou o despertar do interesse de outras em seu conhecimento. “Também pode empreender, inclusive muitas vezes fornecendo para a empresa que está saindo com uma entrega diferente, que seja boa para ambas as partes. O mercado de trabalho hoje está buscando profissionais altamente qualificados, e muitas empresas já estão contratando mestres e doutores”, analisa o professor. “O investimento financeiro no mestrado traz retornos significativos. Empresas que já financiaram o estudo de funcionários obtiveram economia de R$ 300 mil num ano com o trabalho desenvolvido por ele. Então, o investimento nas mensalidades se torna pequeno perto do retorno que a empresa tem”, avalia Graciolli.
O mestrado tem duração de 24 meses e terá aulas presenciais segundas, terças e quartas, no campus da UCS de Bento Gonçalves – porém, há flexibilidade para as aulas serem acompanhadas de forma online. Para mais informações e inscrições, acesse https://bit.ly/3OjzRZ6.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.