Franquia: um mercado em ampla expansão

Os dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) são reveladores. Quando em 2001, 51 mil representava o número de franquias existentes no país, em 2010, este índice saltou para 86.365 e o faturamento chegou a quase R$ 76 bilhões. Só no estado, conforme o diretor regional Rio Grande do Sul, Gustavo Schiffino, este número chega a R$ 4 bilhões.

Só no ano passado, o segmento de franquias do Brasil cresceu 20,4% em relação a 2009, ainda de acordo com a entidade. O volume de redes em operação no País cresceu 12,9%, em relação ao ano anterior. E número de unidades, tanto franqueadas quanto próprias, chegou a 86.365, incremento de 8% em relação a 2009. O setor é responsável hoje por mais de 777 mil empregos diretos. A previsão da entidade é de que o movimento de expansão continue e, para 2011, a expectativa aponta para crescimento de 15%. “O crescimento do franchising no Brasil foi de três vezes o valor do PIB nos últimos quatro anos. Ou seja, no ano passado crescemos 20,4% contra os 6,7% do PIB”, afirma Schiffino.

No Rio Grande do Sul, esse número cresce um pouco mais, segundo ele. “Nossa meta para este ano é crescer em torno de 12%. No ano passado a estimativa era 12%, depois 15% e acabamos em 20,4%. Pode acontecer o mesmo em 2011”, compara. São centenas de franquias espalhadas pelo Estado, conforme Schiffino. “Cerca de 60% das operações em shoppings em Porto Alegre são franquias e 30% estão no interior do Estado, ambos em crescimento”, revela. “O Rio Grande do Sul, durante muitos anos, não utilizou o franchising como opção de desenvolvimento, estamos recuperando terreno”, avalia. “Do PIB, representamos 8% e do Franchising, 4%, ou seja há um ambiente enorme a ser desenvolvido”, considera.

Desenvolvimento este que proporciona consequências positivas aos que investem e aos consumidores, conforme Schiffino. “Para o mercado, o crescimento do franchising gera empreendimentos mais saudáveis, com uma diminuição significativa da mortalidade das empresas, isso é desenvolvimento social e econômico. Para os clientes significa acessar o que existe de melhor no mercado nacional e internacional”, relata.

As vantagens de ser um franqueado, segundo ele, são muitas. “A essência é alguém que já atravessou a mata te mostrar o caminho: transferência de know-how. Ensinar o como fazer”, traduz. “Além do ganho em escala, ao empreender sozinho o poder de negociação do empresário e mínimo”, acrescenta. A ABF não dispõe do número de franquias existentes hoje em Bento Gonçalves, mas Schiffino revela que o índice tem crescido gradualmente.

Confira a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira.

Andreia Dalla Colletta

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.