Golpe do perfil falso e da clonagem do WhatsApp continuam fazendo vítimas em Bento

Na semana passada, uma moradora de Bento depositou R$ 3.650,00 por meio de pix para um golpista que se passou por seu filho no WhatsApp. A pessoa teria criado um perfil falso no aplicativo, utilizando a fotografia do filho, a fim de pedir dinheiro. A mulher, de 57 anos, está entre as dezenas de vítimas somente em Bento Gonçalves. Conforme informações da delegacia do município, diariamente são registradas ocorrências desse tipo de crime, intitulado “golpe do perfil falso no WhatsApp”. 

De acordo com a Polícia Civil, os golpistas costumam vincular a imagem de uma pessoa, geralmente retirada do próprio perfil de WhatsApp ou redes sociais. Com isso, entram em contato com conhecidos da vítima, afirmando que trocaram de número e que precisam de dinheiro. Foi o que aconteceu com outro morador de Bento na semana passada. "Pegaram minha foto do perfil do Face e botaram num número de área 53. Pediram dinheiro dizendo que eu tinha trocado de número. Então eu dei um print e avisei meus contatos. Denunciei e bloquiei pelo Whats. O mesmo caso aconteceu com meu irmão na sexta [03/09]. Ele teve quatro contatos que receberam a mensagem de um número 51", relata.


Print de um dos golpes sendo aplicado em Bento na semana passada. Crédito: arquivo pessoal

Para prevenir, a Polícia Civil recomenda que os usuários ajustem a visualização da imagem do WhatsApp apenas para contatos autorizados. “Fique atento a mensagens de conhecidos ou familiares solicitando depósito e/ou transferências bancárias (ainda mais se for em nome de terceiros) e desconfie de contas com fotos de conhecidos, mas com números diferentes”, cita a PC em cartilha de prevenção a golpes diversos. 

Em outros casos, os golpistas sequer utilizam fotografias da vítima, apenas contatam um número aleatório e se passam por algum filho ou parente precisando de ajuda financeira. Foi o que aconteceu com outra moradora de Bento que entrou em contato com o jornal SERRANOSSA. Na manhã desta segunda-feira, 06/09, seu pai recebeu a mensagem de uma pessoa se passando por "sua filha" para solicitar dinheiro. “Meu pai desconfiou e entrou em contato comigo, porque não tinha comentado sobre mudar meu número com ele”, conta. 


Imagem de outro golpe aplicado em agosto em Bento. Crédito: arquivo pessoal
 

Outro tipo de golpe envolvendo o WhatsApp é a clonagem. Nesse caso, a vítima acaba repassando seu código de acesso do aplicativo sem perceber, permitindo que o golpista mande mensagem para sua lista de contatos. 

De acordo com a Polícia Civil, os criminosos possuem diversas formas de obter o número de telefone das vítimas, mas o mais usual é que seja retirado de anúncios em plataformas de sites de compras ou anúncios públicos em redes sociais. Na sequência, o golpista se passa por funcionário da plataforma de anúncio e, sob o pretexto de corrigir uma duplicidade no anúncio com valores diferentes, ou mesmo ativar o anúncio, solicita à vítima para que informe seus dados pessoais (nome, RG, CPF, endereço) e um código de 6 dígitos que receberá no telefone. 

Esse código, na verdade, é uma verificação do WhatsApp, ou seja, a partir do fornecimento dessa chave o golpista desviará o WhatsApp da vítima para o aplicativo dele. Nesse caso a vítima perde o acesso ao aplicativo de mensagens. A partir disso, o criminoso se passa pela vítima e, alegando algum problema na conta ou com cartão de crédito bloqueado, solicita dinheiro emprestado, se comprometendo a pagar no dia seguinte. O parente ou amigo da vítima, acreditando estar falando com a pessoa de sua confiança, acaba transferindo o dinheiro para a conta bancária informada, e assim se torna também vítima do golpe.

No primeiro golpe, do perfil falso, a Polícia aconselha que seja registrado um boletim de ocorrência e que seja denunciado o crime ao WhatsApp através do e-mail: [email protected] Também é possível denunciar o número do golpe, clicar no campo "Dados do contato" e depois em "denunciar". Além disso, é recomendado avisar familiares e conhecidos, caso seja percebido que estão utilizando seu nome para aplicar o golpe.

No caso da clonagem, para prevenir a pessoa deve habilitar a “confirmação em duas etapas” no aplicativo WhatsApp. Para isso, dentro do aplicativo clique em “configurações/ajustes” e depois clique em “conta”. Escolha a opção “confirmação em duas etapas” e habilite a senha de seis dígitos numéricos, que será solicitada eventualmente enquanto a pessoa utiliza o aplicativo. Isso impede que golpistas façam a clonagem do WhatsApp.

Caso a clonagem seja efetivada, o aconselhado é enviar um e-mail para: [email protected] pedindo a desativação temporária de conta do WhatsApp. “Posteriormente, após receber o e-mail do WhatsApp no prazo de 30 dias, configure-o novamente com o seu número de celular”, explica a PC. “Caso você receba uma mensagem de algum amigo ou parente solicitando empréstimo em dinheiro, ou depósito de algum valor em uma determinada conta, verifique com cautela a veracidade desta solicitação. E, caso seja verdade, antes de qualquer confirmação de depósito, verifique o destinatário (nome, CPF, agência bancária)”, alerta. 
 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.