Golpes no tráfico diminuem homicídios na Serra

A redução dos homicídios desde o início do ano e o envolvimento da maioria das vítimas com o tráfico de drogas são duas das principais constatações de um levantamento feito pelo Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO-Serra), divulgado na última semana. Segundo dados apurados pela Brigada Militar, foram 17 mortes na região desde janeiro e 38 em Caxias do Sul, o que configura a cidade como a sétima mais violenta do estado entre os municípios com mais de 100 mil habitantes. O ranking, da Agência Central de Inteligência da BM, por outro lado, mostra que entre as cidades com menos de 100 mil habitantes, não há nenhuma da região entre as mais violentas. 

Na relação entre Bento Gonçalves e Caxias do Sul, um dos poucos elementos possíveis de comparação é o perfil das vítimas. Em 2010, entre os mortos em Caxias, cerca de metade tinha envolvimento com tráfico de drogas. Neste ano, em Bento, das três vítimas de homicídio, duas tinham extensas passagens pela polícia. Foi registrado um assassinato em janeiro e dois em março. Mesmo assim, Caxias lidera – e muito – os índices. Desde o início do ano, foram 38 casos.

Para o CRPO, as ações incisivas de combate ao tráfico de drogas são o principal motivador na redução nas mortes violentas. Conforme noticiado pelo SerraNossa na última edição, desde o início do ano foram mais de 17 quilos de drogas apreendidos em Caxias, com prisão de 236 pessoas por tráfico de entorpecentes.

Em Bento Gonçalves, a prisão de alguns dos traficantes mais procurados do município, um deles em 2010, também foi considerado um duro golpe para o tráfico de drogas e pode ter contribuído para a redução dos índices.

Difícil prevenção

Para o comandante da 1ª Companhia do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas de Bento Gonçalves (3º BPAT), Capitão Reni Onírio Zdruikoski, é praticamente impossível saber quais as reais causas na redução dos homicídios. “Não existe uma ação efetiva direta capaz de coibir este tipo de crime. O que há é o resultado através de outras ações”, argumenta. Zdruikoski refere-se principalmente a abordagens em bares, onde inicia a violência em função da ingestão de bebidas alcoólicas, ou operações de rotina onde eventualmente se possa apreender armas. “O homicídio é um crime imprevisível, geralmente motivado por drogas, desavenças ou queima de arquivo. É impossível sabermos como prevenir e se as ações que fazemos estão sendo eficazes neste sentido”, destaca.

Para o titular do 1º Distrito da Polícia Civil de Bento Gonçalves (1º DP), Leônidas Augusto Costa Reis, um dos motivadores das diferenças entre Bento e Caxias, além do número de habitantes, é a relação mantida entre os próprios traficantes. “Por incrível que pareça, embora concorrentes diretos, em Bento há mais respeito entre quem comercializa entorpecentes. Pelo que sabemos, em Caxias a rivalidade é bem mais intensa e parte das divergências é resolvida na base da violência extrema”, conta.

Homicídios em 2011

Bento Gonçalves

Paulo Bertuol, 54 anos

Marcos Alexandre Varini, 30 anos

Adriano Alves dos Santos, 33 anos

Farroupilha

Edson Correa, 37 anos

Jéssica Duarte, 27 anos

Vera Lucia Correa, 40 anos

Caxias do Sul

Miguel de Almeida, 27 anos

Catarina Pereira, 25 anos

Jairo Hermes da Fonseca, 35 anos

Endrigo de Oliveira, 24 anos

Anderson Refosco Valim Da Silva, 27 anos

Edson Carlos Barbosa Rodrigues, 29 anos

Jucélia Pereira Verlin, 16 anos

Não-identificado (corpo carbonizado), 19 anos

Júlio César de Oliveira, 28 anos

Luís Carlos Cardoso, 57 anos

Nicanor de Costa Leite, 49 anos

Eduardo Bezerra do Nascimento, 25 anos

Luís André dos Santos Velho, 41 anos

Vinicius Fialho Schneider, 25 anos

Jorge Adlamir Rodrigues de Oliveira, 42 anos

Fernando de Carvalho Oliveira, 21 anos

Ademir André Borges, 44 anos

Valentin Lobo, 32 anos

Eduardo Giovani Oliveira dos Santos, 32 anos

Carlos Eduardo dos Santos, 26 anos

João Vilson Czarnobay, 52 anos

Rugean Oneil De Carlos, 20 anos

Eliel Mateus Casagrande Soeira, 34 anos

Luiz Carlos Gonçalves de Jesus, 54 anos

Alexsandro Fonseca de Jesus, 27 anos

Gabriel Da Mota Pereira, 20 anos

Alzino Oliveira Santos, 36 anos

Eduardo Aires Neto, 36 anos

Rudinan Drum Hettwer, 24 anos

Ronaldo Marinho Querobim, 23 anos

Marcelo Jaques Aires, 38 anos

Douglas Chaves Alexandre, 22 anos

Cristiano Fernandes dos Santos, 19 anos

Anderson Do Carmo dos Santos, 16 anos

Charles Neves da Silva, 19 anos

Zilmar de Oliveira, 49 anos

Adalíbio Martins Velho, 26 anos

Maicon Paim da Silva, 23 anos

Fonte: CRPO/Serrra – nomes ordenados por data de acontecimento

 

Greice Scotton

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.