Grupo de voluntárias leva calor e carinho para pessoas em vulnerabilidade social de Bento

Projeto Colcha de Retalhos BG já confeccionou e destinou mais de 100 cobertores e cachecóis em menos de um ano. Comunidade pode ajudar doando lã, crochê e tricô

Se você, com roupas quentes e confortáveis, aquecedor e um teto para passar os dias, já está sentindo frio nesta sexta-feira, 03/06 – antes mesmo do inverno chegar – imagine quem sequer tem um cobertor. Foi pensando nessa necessidade de pessoas em vulnerabilidade social, na estação mais fria do ano, que um grupo de voluntárias decidiu implantar um projeto novo em Bento. O ‘Colcha de Retalhos BG’ começou a ser desenvolvido ainda em 2020, mas entrou em funcionamento em julho do ano passado.

Em menos de um ano, mais de 100 mantas já foram distribuídas para grupos vulneráveis do município. Instituições como Lar do Idoso Luchese, Lar do Ancião e Apecan já foram contempladas com os cobertores desenvolvidos por 29 voluntárias, que preferem não ser identificadas. Dentre elas, uma senhora de 92 anos que, além das mantas, tem contribuído com a confecção de cachecóis.

Os materiais são produzidos com lã, crochê e tricô diretamente na casa das voluntárias. As entregas feitas no Lar do Idoso Luchese e Lar do Ancião foram acompanhadas pelo Coral Casa das Artes, que abraçou a causa, se colocando à disposição para levar alegria aos idosos. “Entregamos também na Apecan, que abriu uma casa de passagem para as pessoas que vêm fazer tratamento de câncer. Doamos para uma família que nos foi indicada e, nesta semana, numa feliz coincidência, o secretário [de Desenvolvimento Social] Eduardo Viríssimo estava fazendo atendimento com sua equipe a moradores de rua, na frente da casa de uma das voluntárias, que estava com os cachecóis confeccionados. Então já realizamos mais uma entrega. E a ideia é expandir as doações para outras cidades”, conta uma voluntária.

As mantas são confeccionadas com amor e atenção aos detalhes, sendo entregues em lindas embalagens, a quem mais precisa. E com alguns dos materiais recebidos não utilizados para as mantas, as voluntárias aproveitam para confeccionar tapetes voltados a ONGs de proteção animal do município. “Nada do que recebemos de doação é desperdiçado”, afirma a voluntária.

A comunidade pode auxiliar com a doação de lã e quadradinhos de crochê e tricô, no tamanho 20×20 – que é o padrão utilizado. O grupo também está aceitando o auxílio de mais uma voluntária para a costura, além da divulgação do projeto e da indicação de instituições que estejam precisando das doações.

“A doação dá uma sensação de felicidade e gratidão. Felicidade por ter a oportunidade de fazer algo por alguém, e gratidão por ter meios de fazer isso, de ter tido alguém que nos ensinou a olhar para a necessidade do próximo. E uma palavra recorrente no nosso grupo é amor, porque ninguém abre mão do seu tempo livre para ficar horas fazendo algo para doar para alguém que não conhece, se não tiver muito amor”, finaliza a voluntária.

Mais informações pelo Facebook (Colcha de Retalhos – Quadradinhos de Amor) ou pelo Instagram (colcha.de.retalhos).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.