Hipopótamo da antiga fazenda de Pablo Escobar morre atropelado na Colômbia

De acordo com o corpo de bombeiros do município de Puerto Triunfo, o rapaz que estava no veículo saiu ileso; ministério do Meio Ambiente colombiano declarou, em 2022, os animais como uma espécie invasora

Foto: Reprodução/Twitter

Um hipopótamo descendente dos animais levados ilegalmente para a Colômbia, na década de 90, pelo narcotraficante Pablo Escobar, foi atropelado na noite da última terça-feira, 11/04, na estrada que liga Medellín a Bogotá, na Colômbia.

Um motorista que passava na estrada, momentos após o acidente, registrou imagens do animal caído no meio da via após ser atropelado por um carro enquanto atravessava. Após o acidente, o hipopótamo não resistiu aos ferimentos.


Um vídeo que está circulando nas redes sociais mostra que o carro ficou completamente destruído, mas, segundo a polícia local, o motorista saiu ileso.

Problemas

Quatro hipopótamos foram levados para a Colômbia em 1980, para “Hacienda Nápoles”, o zoológico particular de Pablo Escobar, que virou uma atração turística após a sua morte em 1993.

Entretanto, os animais nativos da África, acabaram escapando após a morte do narcotraficante e se reproduzindo. Atualmente, somam mais de 100 hipopótamos pelas ruas e rios da Colômbia. Segundo as autoridades ambientais do local, a população da espécie pode crescer até 400 em 80 anos.

O ministério do Meio Ambiente da Colômbia os declarou uma espécie invasora no ano passado, abrindo o caminho para uma eventual caça. Especialistas alertam que sua reprodução fora de controle representa uma ameaça para a população e a fauna locais. Isso porque eles não têm predadores naturais na América do Sul.

Os animais do traficante – ele gastou US$ 5 milhões (cerca de R$ 26 milhões) na compra dos quatro primeiros hipopótamos – tomaram conta de uma das principais vias navegáveis da Colômbia, o rio Magdalena. 


Em março, o governador do departamento de Antioquia – onde fica Puerto Triunfo – anunciou um plano para levar quase metade dos animais para santuários no México e na Índia. A operação custaria 3,5 milhões de dólares e envolve o transporte dos hipopótamos por quase 150 quilômetros, por via terrestre, até o aeroporto internacional mais próximo.

Fontes: CNN Brasil e Joven Pan