Homem é condenado por matar homem por engano com bombons envenenados no RS

A intenção do réu era matar a ex-namorada por não aceitar o término do relacionamento, mas acabou matando o ex-cunhado

Imagem ilustrativa. Foto: Freepik

O Tribunal do Júri acolheu a tese do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) em Gaurama e condenou, no último dia 19 de abril, um homem, de 43 anos, a 20 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado. Conforme o promotor de Justiça João Francisco Campello Dill, que atuou em plenário, o crime foi cometido em agosto de 2014, na cidade de Viadutos, na Região Norte do Estado, quando o réu matou por envenenamento a vítima Álvaro Antônio Duarte.

O promotor explica que o réu, com a intenção de assassinar sua ex-namorada, abriu uma embalagem de bombons e inseriu a substância tóxica carbofurano-fenol nos chocolates. Em seguida, recolocou os bombons na caixa original e os enviou por Sedex para sua ex-namorada utilizando como remetente um nome fictício.


A correspondência foi retirada em 28 de agosto pelo irmão da mulher, que comeu um dos bombons e ofereceu os restantes para seus colegas de trabalho. Logo após ingerir um dos doces, Álvaro começou a passar mal e buscou atendimento médico no Hospital de Viadutos. Depois, foi encaminhado ao Hospital de Caridade de Erechim, onde veio a óbito.

O entendimento do promotor foi validado pelo Tribunal do Júri, que qualificou o homicídio como motivo torpe, cometido com emprego de veneno e mediante dissimulação. A intenção do réu era matar a ex-namorada por não aceitar o término do relacionamento.