Homicídio: família diz que Isaac não estava armado

O quarto homicídio de Bento Gonçalves ganhou contornos polêmicos nesta segunda-feira, dia 30. Isaac Isírio, de 57 anos, levou dois tiros durante confronto com a Brigada Militar na madrugada do último sábado, dia 28, na casa onde morava, no bairro Juventude. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Soldados que atenderam a ocorrência alegam que atiraram em função de Isírio estar armado com uma pistola 380 e ter revidado contra os policiais, que perseguiam o genro dele e outro homem, suspeitos de uma tentativa de roubo. A família alega que o mecânico morreu sem chance de defesa e desarmado.

Na tarde desta segunda-feira, dia 30, filhas do homem morto procuraram órgãos de imprensa com um esclarecimento ao público por escrito. No documento consta que Isírio estava dormindo na hora em que ouviu os tiros e saiu apenas de roupas íntimas para verificar o que estava acontecendo. Segundo a família, ele não estava armado e se deparou com o genro baleado, caído no chão da porta da cozinha. Como, segundo a família, nenhum dos atiradores se identificou e os carros estavam com as luzes apagadas, a vítima pensou tratar-se de algum desafeto do genro. O documento relata ainda que, em meio à troca de tiros, as pessoas que estavam na casa (uma senhora, duas jovens e um bebê de um ano de idade) saíram com as mãos na cabeça diante do pedido dos policiais e que havia cerca de 15 homens armados no pátio da casa. Outro ponto abordado pelas filhas do falecido dá conta de que o policial militar à paisana que teria sido vítima de assalto estava em um bar, momentos antes, com um dos acusados pelo suposto assalto e que estava junto aos policiais que atenderam a ocorrência. A família informa ainda que vai tomar as providências cabíveis em lei.

O caso

Segundo informações da BM, a tentativa de roubo aconteceu por volta das 0h30min, no bairro Juventude. Um policial militar à paisana, lotado em Caxias do Sul, foi abordado por dois homens, armados com revólveres, enquanto usava um telefone público. Ele reagiu ao assalto. Com a chegada da BM, a dupla correu em direção a casa onde estava Isírio. Na versão da polícia, ele estava armado com uma pistola e também passou a atirar nos policiais, momento em que levou dois tiros, um na cabeça e outro no peito.

Na edição impressa do SerraNossa da próxima sexta-feira você confere a cobertura completa do crime.

Greice Scotton 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.