Horta Comunitária da Praça CEU irá contar com Horto Medicinal

Projeto faz parte do estágio curricular do curso de Bacharelado em Enfermagem da UNICNEC- BG, desenvolvido pela acadêmica Martina Caiane Henrich e que está sendo realizado na Unidade de Saúde Ouro Verde – BG

Foto: Divulgação

Desde a sua implementação, a Praça CEU se tornou um centro de referência na área cultural, desportiva e social. Nesta trajetória, o espaço proporcionou diversas ações e atividades visando o bem-estar da comunidade do entorno, assim como a difusão, a fruição e o acesso aos bens e serviços culturais e sociais.

Desde 2021 a Praça CEU possui a Horta Comunitária, iniciativa que surgiu para atender famílias em situação de vulnerabilidade social, dentro dos regramentos do Cadastro Único e que frequentam o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). São atendidas também entidades do município.

Agora, a Horta Comunitária vai contar com o Horto Medicinal: Relógio do Corpo Humano, que é cultivo de plantas medicinais referendadas pela ciência para a prevenção e tratamento de doenças. O projeto faz parte do estágio curricular, do curso de Bacharelado em Enfermagem da UNICNEC- BG, desenvolvido pela acadêmica Martina Caiane Henrich e que está sendo realizado na Unidade de Saúde Ouro Verde – BG.

O uso de plantas medicinais faz parte das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Pics), inseridas na rede pública desde o ano de 2006. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta 29 práticas de forma integral e gratuita, sendo que, no município de Bento Gonçalves, podem ser encontradas, por exemplo, acupuntura, auriculoterapia e a ozonioterapia.

De acordo com Martina “o objetivo do trabalho é valorizar os aspectos culturais e incentivar a preservação de uma sabedoria popular, orientando e informando a comunidade sobre os benefícios do uso das plantas medicinais. Dentro do propósito do trabalho também está, instruir sobre as ações principais de cada erva, informar os horários corretos para a ingestão do chá, oferecer informações referentes às interações medicamentosas bem como contraindicações do uso”.

O coordenador da Praça CEU, Clóvis Prates, ressalta que o projeto traz benefícios a todos: “fico muito feliz em poder receber esses futuros profissionais que trazem ideias que somam, agregam e inovam no nosso trabalho. Eles precisam do nosso acolhimento em sua formação. O Horto Medicinal vai promover só benefícios, sendo um projeto de viés terapêutico, assim como, de difusão e fruição destes saberes milenar”.

O Horto Medicinal: Relógio do Corpo Humano será construído em 12 canteiros, sendo que, em cada um, serão plantadas ervas específicas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.