Inclusão do homem na gestação é fundamental

Nos dias atuais, exige-se da figura masculina, participação mais ativa no processo da paternidade. A figura do homem e a voz paterna são tão importantes para o bebê quanto a mulher que o carrega em seu ventre.

Pela voz paterna, o feto percebe a influência que ele exerce em sua mãe, pelos batimentos cardíacos e alteração hormonal. Afinal, tudo quanto afeta positiva e negativamente sua mãe, o afeta também. As questões conjugais entram em jogo com um grande peso, já que são as que mais atingem emocionalmente a gestante.

Alguns homens excluem-se da relação, como se não devessem ter acesso à gravidez. Culturalmente, ainda lhes é passado que a demonstração de ternura e os cuidados para com um bebê vão contra o conceito de masculinidade, sendo este, um papel que compete apenas à mãe.

A mulher deve incentivar o futuro pai nesta relação tão íntima, dando-lhe um lugar na gestação. Desta forma, “nascem” também os pais atuais que têm se mostrado cada vez mais presentes e parceiros após o nascimento do bebê, oferecendo todo o suporte emocional e físico que a figura masculina favorece dentro da nova família. O homem deixa de ser mero provedor e compartilha, igualmente com a sua esposa, dos cuidados básicos com o bebê, bem como de sua educação e desenvolvimento físico-emocional. Um exemplo vivo desta segurança e parceria é o primeiro banho do bebê, que pode e deve ser dado pelo pai e pela mãe juntos. Desta forma, aprendem a lidar e criam, juntos, vínculos com o seu bebê.

Ao mesmo tempo, admiram-se mutuamente por estarem envolvidos igualmente com a nova realidade, fortalecendo também sua relação conjugal, visto que homens e mulheres, hoje em dia, trabalham e dividem tarefas domiciliares. Sendo assim, se por qualquer motivo, a mãe precisa afastar-se do bebê, o pai pode e deve assumir a situação e estabelecer contato com seu filho para que ele não perca seus referenciais intrauterinos, podendo sentir-se novamente em segurança.

Para facilitar este processo, os futuros pais agora também podem contar com o Curso do Papai Mamma Bella. Nele, aprendem de forma didática e descontraída, a lidar com diversas situações como o banho do bebê, a troca de fraldas, alimentação, entre outros temas que têm sido extremamente valiosos para sentirem-se à vontade em assumir seu novo e atual papel: o da participação. “Descobrindo e exercendo sua função, o pai fortalece vínculos com seu bebê, o amor estimula a sua formação e ainda o prepara para o contato com o mundo externo como indivíduo independente, amoroso e equilibrado”, enfatiza a enfermeira responsável pelos cursos, Daniela Donini.

  

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.