Inquérito policial sobre queda de ponte na divisa entre RS e SC termina sem indiciados

Na investigação, delegado informa que não foi possível identificar responsabilidade de agente público ou particular no acidente

Foto: Corpo de Bombeiros de Passo de Torres/Divulgação

A Polícia Civil de Passo de Torres, município de Santa Catarina, concluiu o inquérito policial que apurou as causas do rompimento da ponte pênsil que fazia a ligação com Torres, no Rio Grande do Sul.

A investigação terminou sem indiciamentos. No inquérito policial feito na cidade catarinense, o delegado responsável informou que não foi possível identificar responsabilidade por parte de algum agente público ou particular na queda da ponte.


Ao todo, mais de 30 pessoas que estavam na ponte prestaram depoimentos. A Prefeitura de Passo de Torres apresentou documentos que provam que o município fazia manutenções e que em 2015 a ponte foi revitalizada.

A Polícia Civil de Torres também abriu um inquérito policial. Contudo, na cidade gaúcha, as investigações estão em fase final.

Relembre

A queda da ponte ocorreu em 20 de fevereiro. Na ocasião, um jovem, identificado como Brian Grandi, de 20 anos, morreu após a estrutura ceder.

Além dele, dezenas de pessoas passavam pelo local no momento da queda. Os grupos deixavam as festas de carnaval em Passo de Torres e voltavam para Torres pela ponte.