Jovem é abandonada na rua por motorista de aplicativo e estuprada

Caso ocorreu na madrugada de domingo, 30/07, em Belo Horizonte

Foto: Reprodução/Câmeras de monitoramento

Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que um motorista de carro por aplicativo abandona uma jovem de 22 anos em uma rua, após uma festa de pagode em Belo Horizonte. Instantes depois, ela aparece sendo carregada por um indivíduo que a estuprou. O caso ocorreu na madrugada de domingo, 30/07.

De acordo com familiares, a jovem teria ingerido bebida alcoólica e, na volta do show, os amigos dela a colocaram, sozinha, em um carro de aplicativo e compartilharam a localização da viagem com o irmão dela.


Câmeras de segurança instaladas em um estabelecimento comercial mostram o momento em que o carro de aplicativo para no endereço. O motorista desce do veículo e toca o interfone de um imóvel. Contudo, ninguém atende.

Conforme a Polícia Militar, o motorista pediu ajuda para um homem que passava na rua para tirar a mulher de dentro do veículo.

Em seguida, a jovem é largada escorada em um poste, na rua. Neste momento, motorista deixa o local.

Cerca de cinco minutos após a vítima ser deixada sozinha, um terceiro homem é flagrado se aproximando dela. Ao ver que não tem ninguém na rua, o homem coloca a jovem nas costas e a carrega para outro lugar.

Conforme a polícia, o homem carregou a jovem por cerca de três quilômetros, até o campo do Grêmio, no Santo André, onde foi estuprada.


A mulher foi encontrada pela manhã, coberta por um pano, mas com a calça e calcinha abaixadas até o joelho. Naquele momento, a jovem relatou que não sentia dores e que não se lembrava de nada. Ela voltou para a casa e foi até o Hospital Odilon Behrens, no bairro São Cristóvão, Região Noroeste de BH. Na unidade de saúde, após a realização de exames, os médicos constataram que a vítima sofreu abuso sexual.

O suspeito do estupro foi localizado e encaminhado para a Delegacia de Plantão Especializada em Atendimento à Mulher (Deam). Segundo a PM, ele não possui nenhuma passagem por outro crime.

A Polícia Militar também já identificou a placa do veículo por aplicativo e deve convocar o motorista para prestar esclarecimentos. À polícia, o irmão da vítima disse que estava dormindo no momento que recebeu o compartilhamento da viagem do carro de aplicativo e, por isso, não atendeu o interfone.