Kebrada Graffiti colore bairro periférico de Bento e registra seus moradores


Ação de 14 a 16/01 prevê encontro com graffiti e produção de exposição fotográfica no bairro Eucaliptos

Arte do grafiteiro Wagner Wagz. Foto: Bruna Ferreira

Qual a reação do público diante de um graffiti? Parte das respostas estará numa exposição fotográfica que integra o projeto Kebrada Graffiti, que prevê a criação de graffitis no bairro Eucaliptos, em Bento Gonçalves, com o registro fotográfico da interação do público com essa manifestação da Cultura Hip Hop. O material estará numa exposição fotográfica com registros da fotógrafa Bruna Ferreira, que será mostrada aos moradores do bairro e, posteriormente, vai circular por diferentes espaços culturais. O encontro que dá partida a estas ações acontece de 14 a 16 de janeiro, durante todo dia, em diversos locais do bairro. O projeto é da Nest Support e as atividades são realizadas com recursos do Fundo Municipal de Cultura. 

O Kebrada Graffiti contará com a participação do grafiteiro Wagner Wagz e sonorização do DJ Zion. Além de abrir espaço para o processo de criação artística, o encontro também visa proporcionar uma interação com uma comunidade periférica da cidade, produzindo outras referências de imagens para além dos tradicionais retratos ancorados nas belezas locais e na herança e tradição da colonização italiana na Serra.

O bairro Eucaliptos está localizado numa região periférica, na Zona Leste de Bento Gonçalves, e tem registros de altos índices de violência, estando sua população muitas vezes à margem das inúmeras atividades culturais que ocorrem no município. Assim, o Kebrada Graffiti surge também como uma proposta de interação cultural e promoção de autoestima dos moradores dessa região – que serão protagonistas das fotografias – , afirmando também os princípios de interação social e cidadania através da arte e da Cultura Hip Hop.

O encontro também vai oferecer gratuitamente duas oficinas básicas de graffiti. Uma delas será destinada à comuniadade em geral e outra para artistas iniciantes na técnica. Na oficina voltada para a comunidade, os alunos farão um graffiti coletivo, em conjunto com o oficineiro, tendo assim um maior vínculo com o  projeto. Essa oficina também será fotografada e poderá fazer parte da exposição.

Para o encontro de graffiti serão selecionados 10 artistas através de uma curadoria. Eles produzirão graffitis em locais previamente definidos e autorizados pelos moradores e  também estarão em contato com a comunidade do bairro. A iniciativa segue os moldes do  Meeting Of Favela, o maior e mais democrático encontro de graffiti do mundo que há 13 anos ocorre em favelas do Rio de Janeiro. Também é referência para esta interveção de arte urbana a estética e as cores do famoso e turístico Caminito, no bairro La Boca, em Bueno s Aires.

Autora das 20 fotografias que estarão na exposição, Bruna Ferreira já assinou uma exposição em 2017 com fotos sobre a cultura urbana e também é autora do livro Nossa Casa Cypher Vico, com a temática semelhante, que teve lançamento e palestras por todo o Brasil, além de países vizinhos. As exposições também deverão acontecer na Casa das Artes e Galeria do Sesc de Bento Gonçalves, levando imagens da periferia da cidade para a região central, ocupando também importantes espaços culturais.

Durante o Kebrada Graffiti ainda serão realizadas diversas ações com preocupações ecológicas e ambientais. Uma  delas é a distribuição de 100 mudas de plantas preferencialmente nativas de porte pequeno e PANCS (Plantas Alimentícias Não Convencionais) plantadas caixas de leite, que ganharão pintura de stencil com o logo do evento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.