Linha Pradel: acesso ainda é precário

Quem precisa transitar diariamente pela rua Arlindo Franklin Barbosa, via que liga os bairros São Roque e Pradel e serve de acesso a uma importante zona industrial do município, já está acostumado a encarar a sequência de buracos e irregularidades no asfalto. A via não comporta o grande fluxo de veículos pesados, bastante intenso no local devido ao transporte de matérias-primas e mercadorias. A precariedade do trecho foi noticiada pelo SERRANOSSA ainda em dezembro de 2013 – um ano e oito meses depois, as más condições do pavimento continuam visíveis, apesar das operações tapa-buracos realizadas pela prefeitura, a última delas na semana passada.

De acordo com o secretário de Viação e Obras Públicas, Sérgio Gabrielli, os trabalhos efetuados recentemente na rua fazem parte de uma série de reparos iniciados pela prefeitura após as fortes chuvas que atingiram o município no mês de julho. Entretanto, ele reconhece que a área precisa de intervenções mais significativas. “Estamos pensando em alternativas para buscar recursos para o recapeamento da via”, destaca.

Enquanto uma solução definitiva não é encontrada para melhorar a trafegabilidade no local, os trabalhadores e empresários da região seguem descontentes. O funcionário do departamento comercial de uma fábrica de móveis da localidade, Álan Charlei Basso, reclama da demora na realização dos reparos. “São várias empresas localizadas neste trecho e que representam um percentual significativo para o PIB de Bento. Alguns buracos não foram tapados, o que resolve apenas parcialmente a questão. Com as próximas chuvas, novos buracos serão abertos”, lamenta.

Parte da Arlindo Franklin Barbosa – que era coberta por paralelepípedos – foi contemplada no primeiro lote do pacote de R$ 50 milhões em financiamentos para a mobilidade urbana, do Plano de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2). Para a parte mais crítica, a que dá acesso às empresas, a prefeitura ainda não tem investimentos programados.

Reportagem: Carina Furlanetto

É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA

O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.