Mãe e padrasto são presos suspeitos de amarrar e torturar criança em Canoas

Na manhã desta quarta-feira, 18/08, a Polícia Civil prendeu a mãe e o padrasto de um menino de seis anos. Eles são suspeitos de maus-tratos e tortura contra a criança. A prisão da mulher, de 28 anos, ocorreu na cidade de Canoas, na região Metropolitana. Já o homem, de 24 anos, foi preso em Campo Bom.

Segundo as investigações, o menino era mantido amarrado com lenços na cama e sofria agressões. "Essa criança era submetida a castigos bárbaros, tal como queimar a mão no fogo, ficar amarrada por horas a fio e por vários dias a cama, em casa, como forma de repreensão por suposto mau comportamento", diz o delegado Pablo Rocha, responsável pela investigação.

Ainda segundo o delegado, o relato da criança confirma as agressões. "Essa mãe foi ouvida e inicialmente negou que ela tivesse praticado, tentou atribuir ao namorado. Obtivemos conversas entre eles que confirmaram esses fatos. A prova é bastante robusta, e obtivemos mais provas hoje no mandado de busca e apreensão. Acreditamos que com essas duas prisões de hoje [quarta] conseguimos chegar antes e conseguimos evitar que uma tragédia acontecesse aqui em Canoas", completa o delegado.

O lenço que era usado para amarrar a criança foi encontrado no local da prisão da mãe. "Também foi encontrado o remédio, possivelmente utilizado em gotas pra criança dormir", detalha o delegado regional Mário Souza.

A polícia chegou à família através de denúncias anônimas. Nas conversas entre os suspeitos é possível ver a mãe dizendo que vai dar remédio para dormir para a criança e deixar ela amarrada até a boca. Em outra conversa, é possível ver ela detalhando um plano para abandonar o menino em um hospital.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.