Mas afinal o que é Dor Crônica?

A dor crônica está entre as demandas mais comuns na procura de atendimento médico. Estima-se que a dor crônica esteja afetando em torno de 35% da população mundial. No Brasil, as dores crônicas com maior incidência são as lombalgias e as dores de cabeça. A dor funciona como um sistema de alarme do nosso corpo. Ela avisa que o corpo, ou parte do corpo, está em risco e, assim, podemos tomar alguma atitude perante uma situação de perigo. Quem percebe essa sensação de perigo é o nosso cérebro! Nosso cérebro é capaz de perceber o som, a visão, o cheiro, o tato e tudo isso ao mesmo tempo! Como se ele fosse uma grande central de monitoramento. Muitas vezes, nosso sistema de alarme pode ficar desregulado, pois nosso sistema de monitoramento percebe todas as essas coisas que estão ocorrendo ao nosso redor, além de preocupações, emoções, relação familiar, trabalho, situação econômica, entre outras.

Assim, todos esses fatores podem interferir na nossa sensação de dor, inclusive, esses fatores contribuem para deixar o sistema de alarme ainda mais sensível. Podemos representar este cenário, como um corpo de bombeiros tentando apagar um incêndio. Em alguns cérebros, existem muitos bombeiros que apagam os incêndios de maneira eficaz. Em outros, os bombeiros estão com poucos funcionários, ou funcionários ocupados com outras tarefas, ou com equipamentos velhos. Por isso o incêndio pode se alastrar e a sensação de dor ficar pior, é como se a lesão cicatrizasse, porém a sensação de dor permanecesse. Esses bombeiros são recrutados mais facilmente se fizermos exercícios físicos, exercícios de respiração, praticarmos atividades que gostamos ou mesmo refletirmos sobre a dor que estamos sentindo, sem pensar que algo de muito ruim está acontecendo. Assim é a dor crônica, aquela que dura por mais de três meses e, na maioria dos casos, não existe mais nenhuma lesão, ou seja, seu corpo não está mais machucado como você pensa.

A dor pode estar relacionada a padrões negativos de pensamentos, sentimentos e comportamentos, que podem piorar a condição da sua dor! Em algum período da vida, todos podemos passar por momentos difíceis e devemos nos amparar no apoio de amigos e familiares. Você ainda pode contar com uma equipe de profissionais de saúde para te ajudar, entre eles, o Fisioterapeuta, com técnicas de terapia manual e cinesioterapia, pode promover alívio da sua dor e melhora da sua disposição para atividades laborais e atividades de lazer. Escolha pessoas e profissionais em quem você confia para contar seus problemas e te ajudar a aliviar a sensação de dor. Além de fazer coisas saudáveis que te deem prazer!

Referências:
VASCONCELOS, Fernando Holanda; ARAÚJO, Gessi Carvalho de. Prevalence of chronic pain in Brazil: a descriptive study. BrJP, v. 1, p. 176-179, 2018.
MOSELEY, G. Lorimer; BUTLER, David Sheridan. Explain Pain Handbook: Protectometer. Noigroup Publications, 2015.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.