Mulher de 70 anos se torna mãe de gêmeos em Uganda

Safina Namukwaya é a pessoa mais velha a ter filhos em todo continente africano, graças à fertilização in vitro

Foto: Women’s Hospital International and Fertility Centre / Facebook / Reprodução

Uma mulher de 70 anos deu à luz gêmeos (um menino e uma menina) em Kampala, capital de Uganda, nessa quarta-feira (29). Safina Namukwaya é a pessoa mais velha a ter filhos em todo continente africano, graças à fertilização in vitro, segundo o jornal Daily Mail.

O Women’s Hospital International and Fertility Center (WHI&FC), hospital de referência em reprodução no país, compartilhou o nascimento nas redes sociais. Após a cesárea, mãe e bebês passam bem.


Safina tem outra filha mais velha, Sarah, nascida em 2020. Ela contou ao canal NTV que passou por algumas complicações durante a gravidez, incluindo o abandono do pai dos gêmeos. Anteriormente, Safina teve alguns abortos espontâneos, perdeu o marido na década de 1990 e enfrentou preconceito dentro da sua comunidade por não ter filhos.

“Uma vez, um menino me importunou dizendo que eu havia sido amaldiçoada  por minha mãe a morrer sem filhos”, confessou ao canal.

Foram 40 anos de tentativa até conseguir engravidar. Apesar de raro, o caso não é único no mundo. Em 2019, a indiana Erramatti Mangayamma deu à luz a gêmeos aos 74 anos, também por meio de fertilização in vitro, tornando-se a mãe mais velha do mundo.

Quando uma mulher passa pela menopausa, normalmente entre 45 e 55 anos, não é mais possível engravidar naturalmente. A fertilização in vitro consiste retirar um óvulo saudável (seja da própria mãe ou de alguma doadora) e fecundá-lo com espermatozoides em laboratório. Depois, esse óvulo fertilizado, chamado de embrião, é implantado na mulher que deseja engravidar. Ainda não se sabe se Safina Namukwaya usou um de seus óvulos, que poderia ter sido congelado quando era mais jovem, ou se recebeu doação.

Fonte: GZH