NEEJA da Penitenciária de Bento Gonçalves retoma atividades

SUSEPE/Divulgação

Na última semana de fevereiro iniciaram as atividades do Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos Cultura Popular (NEEJACP) na Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves (PEBG). O núcleo, nominado Admar Bretas Rodrigues, foi fundado em 2002 e homenageia um agente penitenciário já falecido, que muito contribuiu para a realização de atividades pedagógicas no estabelecimento prisional.

Na edição iniciada neste ano, funciona com 177 apenados matriculados, sendo 160 homens e 17 mulheres. As aulas são ministradas nas modalidades Ensino Básico Regular Diurno – ensino fundamental II e Ensino Médio/Educação de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade (EJA PPL).

Os apenados estudantes são distribuídos em sete turmas entre as galerias A e B, Ala feminina e Ala dos presos trabalhadores. A Escola conta com um corpo funcional de oito professores e uma secretária e, em termos de espaço físico, com uma sala para direção e secretaria e uma sala de professores, além de cinco salas de aula e uma sala de leitura com 1.500 títulos no acervo.

A organização da escola dá-se por turmas multisseriadas, como forma de oportunizar o ensino para todos, atendendo às especificidades de conhecimento e idade distintas. Além dessas atividades, desde maio de 2021, a escola coordena o projeto Remição pela Leitura, atualmente com 45 participantes.

Em relação às atividades de anos anteriores, em 2021, 38 presos realizaram as provas do Enceeja (referente a 2020), quando sete concluíram o ensino médio e 17 finalizaram o ensino fundamental, tendo 10 passado parcialmente. Já em relação ao Enem PPL de 2021, 30 apenados realizaram as provas, tendo um concluído o ensino médio e 11 passaram parcialmente.

Durante o ano de 2022, a direção da casa prisional, em parceria com o Núcleo, pretendem desenvolver a Remição de pena por meio de prática social educativa, ou seja, atividades de socialização e educação não escolar, de autoaprendizagem ou de aprendizagem coletiva, assim entendidas aquelas que ampliam as possibilidades de educação para além das disciplinas escolares, como as de natureza cultural, grupos reflexivos temáticos, grupos de Justiça Restaurativa, Oficinas de Artesanato, dentre outras possibilidades de participação voluntária, conforme previsto na Ordem de Serviço n°01/2021 do Departamento de Tratamento Penal da Susepe.

O diretor da PEBG, Volnei Zago, salienta que “a Penitenciária, no momento, está com 345 apenados recolhidos e, destes, 177 estudam e outros 45 participam da remição pela leitura”. Segundo ele, “sendo que a educação é um dos pilares para a ressocialização, destacamos o número expressivo de apenados matriculados, devido ao excelente trabalho desenvolvido pelos professores e servidores penitenciários”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.