Olivicultura cresce, aponta dados do Cadastro Olivícola do RS

O resultados foram divulgados nesse terça-feira, 30/08, no estande do Governo do Estado no Pavilhão Internacional da Expointer

Foto: Fernando Dias/Divulgação Seapdr

O Rio Grande do Sul é atualmente o maior produtor de azeite de oliva do Brasil. Segundo dados do Programa Estadual de Desenvolvimento da Olivicultura (Pró-Oliva), em 2022 foram produzidos 448,5 mil litros de azeite no Estado.

Para marcar esta posição, foi lançado na manhã desta terça-feira, 30/08, no estande do Governo do Estado no Pavilhão Internacional da Expointer, o segundo Cadastro Olivícola do Rio Grande do Sul, organizado pelos departamentos de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA) e de Políticas Agrícolas e Desenvolvimento Rural (DPADR) da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e pela Emater, com o apoio do Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva). A coleta de dados foi realizada entre os meses de novembro de 2021 e janeiro de 2022. Os dados do primeiro cadastro são de 2017.


O secretário adjunto da Seapdr, Rodrigo Rizzo, destacou a importância desta cadeia para a agricultura gaúcha e que se reflete nos programas desenvolvidos pela Secretaria, como o Pró-Oliva. “Nós estamos fortalecendo a cada ano este setor e os dados revelados pelo Cadastro só refletem o acerto da nossa iniciativa”, destaca.

Para o presidente do Ibraoliva, Renato Fernandes, “o aumento na produção de azeite, de quase 700% em relação ao primeiro cadastro, é para se comemorar muito”. Em 2017, foram fabricados 57.873 mil litros. Segundo ele, as políticas públicas desenvolvidas pela Seapdr, através do Pró-Oliva e da Câmara Setorial, com apoio da Emater, foram fundamentais para este resultado.

O levantamento identificou 5.986 hectares com cultivo de oliveiras, um avanço de 72% em relação aos dados do Cadastro anterior, quando foram registrados 3.465 hectares. As mesorregiões Sudeste e Sudoeste Rio-Grandense, seguidas da Metropolitana de Porto Alegre, são responsáveis por 80% da área.

O número de produtores também cresceu, totalizando 321, um crescimento de mais de 121% em relação a 2017, quando foram registrados 145 produtores. As mesorregiões (IBGE) do Estado que concentram maior número de produtores são a Sudeste Rio-Grandense, Metropolitana de Porto Alegre e Sudoeste Rio-Grandense, totalizando 74%.

O número de municípios que abrigam olivais praticamente dobrou, passando de 56 para 110, em relação a 2017. Os municípios que se destacam na cultura são Encruzilhada do Sul, Canguçu, Pinheiro Machado, Bagé, Cachoeira do Sul, Santana do Livramento, Viamão e São Gabriel.


As variedades de azeitona mais cultivadas no Estado são Arbequina, Koroneiki, Picual, Arbosana e Frantoio. De acordo com os resultados, destacam-se a variedade espanhola Arbequina e a grega Koreneiki, que estão presentes em 96 e 90%, respectivamente, nos olivais.

Produção de azeites

O Rio Grande do Sul tem se destacado na produção de azeite de oliva no país, ocupando atualmente o primeiro lugar em termos de volume, seguido pela produção na Serra da Mantiqueira, em território entre os estados de Minas Gerais e São Paulo.

A produção acontece em 17 plantas extratoras, que envasam atualmente 70 marcas diferentes. De acordo com a pesquisadora do DDPA, Larissa Ambrosini, “a perspectiva para os próximos anos é de aumento de produção, pois, muitos olivais ainda não estão em fase produtiva”.

Fonte: Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul