ONGs de Bento recebem dezenas de pedidos de ajuda para animais perdidos após ano novo

Diversas famílias estão atrás de cães e gatos que fugiram com a queima de fogos. Outros animais seguem perdidos ou abandonados nas ruas

Anualmente, ONGs e protetores da causa animal em todo o país realizam campanhas de conscientização sobre a soltura de fogos de artifício durante as festas de fim de ano. Isso porque o alto ruído dos artefatos pode assustar ou causar problemas de saúde em cães e gatos. No Rio Grande do Sul, a lei 15.366, de 2019, proíbe “a queima e a soltura de fogos de artifícios, assim como quaisquer artefatos pirotécnicos festivos de efeito sonoro ruidoso, que ultrapassem os cem decibéis à distância de cem metros de sua deflagração”.

Mesmo assim, algumas pessoas não deixam de lado os fogos para comemorar a chegada do novo ano. O resultado são centenas de animais perdidos nas ruas, após fugirem de suas casas, assustados com o barulho. Em Bento Gonçalves, ONGs e voluntários da causa animal receberam dezenas de pedidos de ajuda neste ano. “Em um dos casos a pessoa deixou uma filhote de três meses amarrada ao lado de fora da casa. Ela fugiu e agora está desaparecida”, lamenta a voluntária da ONG Patas e Focinhos, Aline de Godoy.

Já a protetora e idealizadora do projeto Por Mais Empatia, Letícia Bonassina, relata que cerca de 20 pedidos de ajuda já chegaram até ela. “Recebemos diversos relatos de animais nas ruas. Não sabemos se estão perdidos ou se foram abandonados. Está de chorar”, comenta.

A instrução é que, caso a pessoa encontre um animal nas ruas, ou esteja procurando o seu bichinho de estimação, publique fotos e informações nas redes sociais. Um dos grupos bastante utilizados pela comunidade no município é o Help Pet Bento Gonçalves, no Facebook.

Abaixo, alguns dos animais desaparecidos na cidade:

Alguns dos animais perdidos nas ruas (sem identificação de tutores)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.