Órgãos de segurança irão parar na segunda-feira

Com o anúncio do governo do Estado, feito na manhã de sexta-feira, dia 31, de que o pagamento dos salários dos servidores públicos referentes ao mês de julho será realizado de forma parcelada, funcionários dos órgãos de segurança, como Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e agentes penitenciários da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), anunciaram que irão parar as atividades na segunda-feira, dia 3 de agosto, como forma de protesto.

De acordo com o site do governo, esta foi a alternativa encontrada para superar o déficit crescente dos últimos meses. “Com a arrecadação aquém das projeções, o governo precisou escalonar o pagamento em três etapas, iniciando com o depósito de uma parcela líquida de R$ 2.150, na sexta-feira, dia 31, para todos os 347 mil funcionários (vínculos). Uma segunda parcela líquida de R$ 1.000 será depositada no máximo até o próximo dia 13, quinta-feira, ampliando para 71% o percentual do funcionalismo recebendo o salário integral. O valor complementar acima dos R$ 3.150 para atender aos demais 29% dos servidores, pelas previsões da Fazenda, será creditado até 25 de agosto”, explica a matéria. 

Conforme o secretário da Fazenda, faltariam R$ 360 milhões para honrar a folha salarial na integralidade no final do mês. No esforço para que a linha de corte não fosse mais aguda, o governo adotou uma série de medidas, como o novo atraso na parcela da dívida com a União (R$ 280 milhões) e nos repasses (prefeituras e custeio de órgãos do governo) a fornecedores (R$ 125 milhões), além de recorrer a mais R$ 200 milhões dos depósitos judiciais e R$ 50 milhões disponíveis no Caixa Único.

Brigada Militar e Corpo de Bombeiros 

Servidores da Brigada Militar irão ficar aquartelados durante toda a segunda-feira. Em comunicado, as associações dos servidores de nível médio da Brigada Militar relataram que, em respeito à sociedade, os servidores somente farão atendimento a ocorrências de urgência e emergência, em seguida retornando aos quartéis, após o atendimento. Outras medidas serão definidas nas plenárias que deverão acontecer a partir do dia 5 de agosto, sendo preparatórias para as assembleia unificada, que irá acontecer no dia 18 de agosto.

Polícia Civil

Em nota, a Ugeirm Sindicato explica que os policiais civis estarão paralisados das 8h às 18h. Não haverá circulação de viaturas e não serão realizados cumprimentos de mandados, operações policiais, serviço cartorário, entrega de intimações, oitivas e demais procedimentos de polícia judiciária. A Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) somente atenderá os flagrantes e casos de maior gravidade, tais como: homicídio, estupro, ocorrências envolvendo crianças e adolescentes e lei Maria da Penha, além daquelas ocorrências em que os plantonistas julgarem imprescindível a intervenção imediata da polícia civil.

Susepe

A orientação do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado do Rio Grande do Sul (AMAPERGS) é que os servidores compareçam ao seu local de trabalho, permaneçam de braços cruzados e apenas executem serviços emergenciais. Além da segunda-feira de paralisação, as cidades que receberão as plenárias também devem paralisar as atividades no dia da plenária. 

É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA

O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.