Os círculos da vida

Desde sempre – e seguindo na linha da coluna das últimas semanas, já que o assunto não se esgota – ouvimos que o mundo é redondo, que dá voltas e que, por isso, tudo, sempre, volta. A isso chamamos de ciclos da vida. Ou círculos da vida. 

Todos nós temos alguém por quem mataríamos e morreríamos. Eu tenho vários alguéns. Dentre eles está a Sophia, minha sobrinha. A Sophia, no dia 15.07, completou seis anos de vida. Dentre as coisas que ela ama na vida estão: desenhar; e o Tio Thi. No caso, eu. Eu sou, e sempre serei, no que depender de mim, sinônimo de bagunça – ela me chama de “Tio Maluco” também –, carinho, segurança e proteção. Certa vez, há uns dois anos, minha irmã perguntou o que ela faria se o pai dela, meu cunhado, não estivesse em casa e entrasse alguém estanho, e ela, de pronto, respondeu: “eu gritaria: Tio Thi! Tio Thi! E ele viria me salvar…”. Não é à toa que eu doei um rim por essa criaturinha… 

Depois de uma festinha de aniversário surpresa, no domingo, ela quis desenhar. Desenhou ela e o Tio Thi em uma festinha de aniversário. Ela, de vestidinho, linda, e eu, uma bolota, gordinho, um círculo… 

Há, por óbvio, outros círculos mais importantes que o Tio Thi é para a Sophia. O Projeto “Círculo Solidário” é um deles. 

O Projeto Círculo Solidário foi criado a partir da atuação de grupos distintos e entidades para a centralização de campanhas de doação de mantimentos, roupas, alimentos e até dinheiro para os necessitados. Todos vocês já devem ter visto, no comércio local, caixas para doações, de diversas campanhas. Uma delas é do Projeto Círculo Solidário. 

Utilizando-se da base do Círculo Operário Bento-gonçalvense para armazenamento e separação dos agasalhos e mantimentos, bem como para direcionamento das doações em dinheiro, no nosso caso em específico, já que sei que esse projeto se desenvolve em outras cidades da região, como Farroupilha, por exemplo, o Projeto Círculo Solidário tem ajudado a angariar mantimentos para instituições como o centro espírita Nossa Casa, o Lar da Caridade e o Abraçaí, além de famílias desamparadas que o procuram buscando um mínimo para tentar sobreviver. Quem não conhece nenhuma delas, sugiro procurar conhecer. São trabalhos sensacionais, realizados, em sua maioria, ressalvados alguns profissionais específicos contratados para tal, de maneira voluntária, em nome da benemerência e da empatia. Para todas essas entidades e pessoas, foram distribuídos alimentos, agasalhos, cobertas e até efetuado pagamentos de contas vencidas, evitando corte do fornecimento de bens de consumo essenciais. 

Como o Círculo Operário é uma entidade de apoio assistencial à saúde, criada para, por meio de convênios com profissionais, garantir menores preços de serviços aos seus associados, nada mais justo que, mais uma vez, o apoio aos necessitados seja feito através dele. Ainda mais que sua sede foi disponibilizada, de maneira gratuita, para o árduo trabalho de armazenamento, separação e distribuição, estes também realizados de maneira gratuita, por voluntários. 

Eis, pois, os círculos da vida, cada um em sua importância: sejam os ciclos, que a tudo trazem início e fim, ações e consequências; sejam os Círculos Operário e Solidário, criados e desenvolvidos para benefício daqueles que menos ou nada têm; seja o Tio Thi para a Sophia, desenhado redondinho como um círculo, sinônimo de alegria e proteção. Até porque o bem que fazemos, sempre volta, mantendo os círculos, ou ciclos… 

Até a próxima!

 

Apoio:

  

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.